Cidadeverde.com

Deputado Edson Ferreira se filia ao PSDB

Edson Ferreira assina ficha de filiação ao PSDB, ladeado por Luciano Nunes e outras lideranças da oposição  (FOTO: PSDB/Divulgação)

 

O deputado estadual Edson Ferreira assinou ficha de filiação ao PSDB, hoje no final da tarde. Ele se soma a outras filiações a partidos de oposição, numa lista que inclui o ex-governador Zé Filho (também filiado ao PSDB) e Juliana Moraes Souza (filiada ao PSB). Também inclui o próprio irmão de Edson, o ex-prefeito de São Raimundo Nonato, Avelar Ferreira, que ingressou no DEM.

A solenidade de filiação teve a presença do pré-candidato do PSDB ao governo do Estado, deputado Luciano Nunes, bem como Dr. Pessoa, o ex-governador Freitas Neto, Zé Filho, Mardem Menezes, o prefeito Marcos Elvas (Bom Jesus), Juliana Moraes Souza e Avelar Ferreira. “É uma liderança importante mostramdo que a oposição se fortalece e cria as condições para, nas eleições, oferecer de forma competitiva um novo rumo para o Piauí”, disse Luciano.

Edson, assim como Avelar, tem atuação sobretudo na região de São Raimundo Nonato. Segundo Edson, a opção pelo PSDB está associada à candidatura de Luciano, bem como a presença de outras lideranças – como Dr. Pessoa e Zé Filho – que desejam um governo capaz de colocar o Piauí "em um novo patamar". “Precisamos de um governo organizado e capaz de empreender no nosso estado um momento de desenvolvimento que tanto precisamos”, disse Edson.
 

PSD perde muito com a ‘janela’

O PSD do deputado Júlio César termina a chamada janela de transferência partidária – iniciada há um mês e se encerrando amanhã – como um dos que mais perdas sofreu. Nas eleições de 2014, o partido tinha um deputado federal (Júlio César) e três deputados estaduais (além de Edson, elegeu Dr. Pessoa e Georgiano Neto) e um suplente (Antonio Felix) que exerceu o mandato praticamente todo o período.

No prazo da Janela de transferência, o PSD perdeu Dr. Pessoa (que foi para o Solidariedade), Antonio Feliz (PTC) e agora Edson Ferreira (PSDB). A representação do partido se resume a Júlio e Georgiano. O encolhimento da sigla pode tirar força na reivindicação que o PSD vem fazendo: a de ter uma das vagas ao Senado na chapa encabeçada por Wellington Dias. O PSD quer indicar para essa disputa o nome do próprio Júlio César.