Cidadeverde.com

Atila já monta escritório da campanha de reeleição


Átila Lira: deputado já prepara escritório político para fazer campanha em busca de oitavo mandato

 

O deputado Átila Lira (PSB) amiúda os trabalhos políticos com vistas à campanha em busca de mais um mandato na Câmara dos Deputados. Já neste início de março, ele abre um novo escritório político, que estará localizado na Rua 7 de Setembro, no Centro de Teresina. É de onde quer pavimentar a caminhada para o oitavo mandato de deputado federal.

Átila foi eleito deputado pela primeira vez em 1986. Desde lá, só não foi reconduzido à Câmara em 1994, quando disputou o governo do estado – pleito vencido por Mão Santa. Desde então, tomou a educação como sua bandeira. Agora torna a abraçar o tema da educação, acrescido de duas outras bandeiras: o desenvolvimento regional e o empreendedorismo.

Apesar de filiado a um partido que se diz socialista, Átila é cada vez mais associado às pregações liberais. Nos últimos anos, abraçou a defesa da iniciativa privada como impulsionadora da economia. Nesse viés, defendeu a reforma trabalhista e foi contra as propostas de aumento de impostos. Quanto ao desenvolvimento regional, defende condições diferencias que incentivem os investimentos em estados como o Piauí.

Ele tenta somar educação e desenvolvimento no mesmo discurso: “É isso mesmo! Não há crescimento sem educação. E mais ainda sem educação em tempo integral, que eu defendo como prioridade para fazer um Brasil grande a patrtir de uma educação transformadora”, disse à coluna.
 

O desafio de uma chapa oposicionista

O deputado Átila Lira faz parte de um grupo que terá um enorme desafio pela frente: a chapa de candidatos a deputado pela oposição. O desafio é formar uma chapa com candidatos de alta competitividade. No grupo, destacam-se três: o próprio Átila, seu companheiro de PSB Rodrigo Martins e Heráclito Fortes, que deixou a sigla socialista pelo DEM. Mas a ideia é firmar uma aliança forte que dê voz (e votos) à oposição.

O PSB terá pelo menos mais dois candidatos nos quais a oposição coloca muita esperança: o ex-prefeito Manin Rego (de Barras) e Juliana Falcão – que troca o projeto de reeleição à Assembleia por uma postulação à Câmara Federal.

A intenção dos oposicionistas é somar outros nomes, que possam contribuir para engordar a votação de uma chapa oposicionista, contribuindo para a eleição de três ou quatros deputados. A meta é vista como otimista. Mas os oposicionistas lembram de 2014: naquela eleição, a oposição era vista com potencial para, no máximo, três deputados. Fez cinco.