Cidadeverde.com

Tendência do PT por chapa pura faz surgir a ‘chapinhazona’

Os partidos que fazem parte da base do governo do Estado bem que lutam para a formação de uma chapa única visando a disputa das vagas proporcionais – Câmara e Assembleia. Mas já admitem que a chapa única, conhecida como “chapão”, pode não vingar diante da posição firme do PT, que majoritariamente defende a formação de chapa pura, sem aliança com ninguém. Como os outros partidos não querem ficar a mercê do humor petista, começa a ser esboçada uma aliança que vai acomodar as principais siglas governistas, sem PT e MDB.

A nova aliança já está sendo chamada de “chapinhazona”, nome que é utilizado em contraponto à chamada “chapinha”, articulada pelo deputado Evaldo Gomes, presidente do PTC. No caso da “chapinha”, ela congrega uma meia dúzia de partidos médios e pequenos que teriam poucas chances em uma aliança com grandes siglas. Já a “chapinhazona” vai contar com as grandes siglas que o PT não quer como aliado na disputa por cadeiras na Câmara e na Assembleia.

Há um entendimento preliminar de que essa coligação deve reunir PP, PSD, PTB e PR, com a possibilidade de também somar o PDT. A lista não inclui o MDB, força que conta com uns seis parlamentares com alta performance eleitoral. Em uma aliança, esses nomes tendem a encabeçar a lista dos eleitos – e por isso o MDB não é buscado como coligado preferencial de ninguém.

Essa articulação é uma saída para o caso do PT decidir que não faz mesmo aliança.
 


Júlio Arcoverde: presidente do PP é visto como um dos líderes da articulação por chapa alternativa

‘Chapão’ ainda é primeira alternativa

Apesar da articulação em andamento, não está nada fechado, até porque o desejo dos partidos é ter o “chapão” para a disputa as vagas de deputado federal e deputado estadual. Só mesmo o PT – que deseja chapa pura – e o grupo liderado pelo PTC pensam diferente.

Lideranças do MDB acreditam que “tudo vai se resolver”. Ou seja: na hora H, Wellington Dias doma o PT e leva todos os partidos em chapa única, o chapão. O mesmo entendimento tem lideranças do PP. Mas os progressistas não dão tudo por pronto e acabado. Tanto que o presidente estadual do PP, depútado Júlio Arcoverde, é visto com um dos líderes dessa rodada de conversações que pode levar à “chapinhazona”.