Cidadeverde.com

Candidaturas definidas? Nem no governo, nem na oposição


Wellington Dias e Ciro Nogueira: nomes intocáveis de uma chapa governista que gera novas discussões e alimenta especulações

 

“Não tem nada definido”.

Foi assim, com uma frase curta e seca que uma personalidade de estreita ligação com o MDB e o governo petista definiu o cenário pré-eleitoral, a apenas um mês do período das convenções partidárias. A frase tinha como endereço a chapa governista. Mas bem pode se referir ao cenário nas oposições, onde candidaturas começam a ser questionadas e nomes novos especulados para a disputa do Palácio do Karnak.

No governo, aumenta a suspeita dos aliados de que o PT cresce os olhos e até sonha em ter uma cabeça de chapa pura, a sigla oferecendo governador e vice. Esse sonho petista, até a semana passada, era sussurrado por alguns poucos mais atrevidos. Mas ganhou corpo depois da pesquisa Cidade Verde/Opinar, que colocou Wellington Dias (PT) em liderança folgada. Agora há mais vozes falando do terma, e sem a preocupação de apenas sussurrar. Deixam claro que só dois nomes estão realmente decididos: Wellington e Ciro Nogueira (PP).

No cálculo petista, os aliados se contentariam em ter as vagas ao Senado. Cabe perguntar: estarão mesmo os aliados contentes? Ao que tudo indica, não. A mesma personalidade que pronunciou a frase lá de cima repete uma outra frase, bem comum: “Muita água ainda vai rolar”.

É difícil pensar em desmonte da aliança governista, ainda mais no quadro revelado pela pesquisa, onde a oposição aparece fragilizada. Mas os oposicionistas também se movimentam. E mostram que também lá a pesquisa Cidade Verde/Opinar produziu efeitos.  Um movimento se materializa no sentido de tentar fortalecer o nome de Luciano Nunes (PSDB). Outro pode levar à apresentação do deputado Dr. Pessoa (SD) como candidato não a senador, mas a governador.
 

Oposição tenta mostrar viabilidade

Se o governo ganha tempo para a definição de sua chapa majoritária, a oposição tenta correr contra o tempo perdido e os índices (de intenção de voto) não conquistados. O prefeito Firmino Filho resolveu colocar a cara na campanha de Luciano Nunes. É um apoio importante, necessário para reafirmar a candidatura tucana como competitiva.

Mas o desempenho de Elmano Ferrer (Podemos) na pesquisa fez surgir um movimento em torno do deputado Dr. Pessoa. Ele que já havia se anunciado como postulante a uma cadeira no Senado, agora está sendo animado a disputar o Karnak. O cálculo é que ele e Luciano podem viabilizar o segundo turno.

E os que cochicham no ouvido do parlamentar do SD dizem que ele pode ser o nome que iria enfrentar Wellington nessa segunda volta eleitoral.