Cidadeverde.com

Candidatura de Frank Aguiar anima governistas


Frank Aguiar: parte dos governistas gostaria de ter no palqnque de Wellington Dias o apelo popular do "Cãozinho dos Teclados"

 

A possibilidade da candidatura de Frank Aguiar (PRB) ao Senado anima uma boa parte da base governista, que vê no cantor a possibilidade de fortalecer ainda mais o apelo popular do palanque de Wellington Dias (PT). Na avaliação de aliados do governo petista, Frank Aguiar teria como primeiro efeito o esvaziamento de parte da oposição, sobretudo por tirar “votos soltos” que tenderia a ser destinados ao candidato Dr. Pessoa (SD).

Esse cálculo leva em conta que há uma ampla fatia do eleitorado que rejeita os políticos em geral. E, no que diz respeito à disputa por cadeira no senado, parte desse segmento estaria depositando seu voto naquele político menos associado ao feitio tradicional da política, no caso o deputado estadual Dr. Pessoa.

Frank Aguiar teria muita força para conquistar essa faixa do eleitorado. Mesmo já tendo ocupado cargos políticos – deputado federal e vice-prefeito, ambos no Estado de São Paulo –, o cantor não tem o carimbo de político profissional. E, como artista, tem forte apelo popular. Essa soma anima uma boa parte dos governistas.

Mas a candidatura de Frank Aguiar não é pacífica: está longe de ser sacramentada. Ela não agrada à cúpula dos dois principais partidos da aliança governista – o PT e o Progressista. O PT quer Regina Sousa como candidata. E o PP tem Ciro Nogueira como postulante. O cálculo é que Frank Aguiar pode ferir de morte não apenas a candidatura de Dr. Pessoa, mas a de pelo menos um dos dois candidatos governistas até agora citados como concorrentes ao Senado.
 

PRB espera para decidir sobre Chapinha

A recente pesquisa Cidade Verde/Opinar, que apontou Frank Aguiar na vice liderança na corrida pelo Senado, teve efeitos nas discussões em torno da disputa proporcional. O PRB gostou do que viu na pesquisa e acha que a candidatura o cantor deve ser levada em conta. Uma candidatura que poderia ser materializar pelo governo ou pela oposição, conforme disse o próprio pré-candidato.

Daí, o PRB deu um passo atrás na discussão sobre sua participação na chamada Chapinha. Essa pausa tem a ver como o que acontecerá com Frank Aguiar. Se permanecer no governo, fazer parte da Chapinha não seria nenhum problema. Já se a opção for uma candidatura ao Senado pela oposição, isso encerraria a discussão com a Chapinha.

O desejo do PRB, no entanto, é ver Frank Aguiar candidato ao senado. E pelo governo.