Cidadeverde.com

Entorno de Themístocles aponta os ‘donos do veto’


Themístocles Filho: vetado na chapa do governo em nome de movimentos que já olham para as eleições de 2022

 

Até há uma semana, era grande a confiança do entorno do presidente da Assembleia, Themistocles Filho (MDB), na indicação do deputado como vice de Wellington Dias (PT) nas eleições deste ano. Os fatos mostraram que a confiança não tinha sentido. E agora, o mesmo entorno tenta aponta responsáveis, aqueles que teriam se empenhado especialmente em tirar Themístocles do jogo.

No final de semana, uma assessora ainda mantinha a confiança e dizia e repetia: “Está tudo certo. Fechado”. Talvez o menos confiante fosse precisamente o deputado, que adotava um discurso cheio de certeza, mas a fala era negada por gestos de desconforto. Muito provavelmente Themístocles sabia da fritura montada em uma trempe com três pedras de sustentação.

Agora os assessores que demonstravam tanta confiança apontam as três pedras que se puseram no caminho de Themístocles e ajudaram a fazer a trempe para a fritura:

PT: é visto como o maior ganhador, porque assegura seu segundo nome na chapa proporcional e mais precisamente na vice, lugar muito, muito estratégico. Os nomes apontados dentro do partido são o de Wellington e do presidente da sigla, Assis Carvalho.
Ciro Nogueira: na visão dos aliados de Themístocles, o deputado seria um problema e tanto para Ciro realizar seu sonho, de olho em 2022. Teria contado com vários suportes, inclusive do tucano Firmino Filho, que alçou o deputado à condição de desafeto.
Marcelo Castro: para estar na chapa teria que tirar Themístocles. Além disso, é o mais petistas dos de fora do PT. O PT o queria, e não se opôs à querença, posto que também queria a vaga na chapa.
 

Todos estavam de olho em 2022

A fase oficial da campanha deste ano ainda nem começou. Mas todos os segmentos políticos envolvidos na querela que resultou no veto a Themístocles Filho tinham um só pensamento, e estava em 2022. Esse cálculo cabia inclusive ao próprio Themístocles.

Wellington Dias, Themístocles Filho, Ciro Nogueira, Firmino Filho, Marcelo Castro... Todos queriam assegurar deste já um lugar de destaque na eleição de 2022. Esse olha parte da convicção de que Wellington será reeleito e, provalmente, deixará o cargo para buscar uma vaga, por exemplo, no Senado.  Daí, o vice se tornará governador.

Mais que isso, o governador de 2022 terá um amplo controle do processo eleitoral, já que estará com a caneta na mão. Poderá, inclusive, pleitear a reeleição. Ou se emprenhar para a eleição de um aliado.

Essa é a razão de toda a querela.