Cidadeverde.com

Nome de Wilson é especulado como opção ao governo


Wilson Martins: ex-governador diz que não pensa em outra coisa, a não ser na candidatura ao Senado

 

A decisão do governador Wellington Dias (PT) de vetar o nome de Themístocles Filho (MDB) como candidato a vice na chapa governista está tendo desdobramentos na oposição, pelo menos em especulações. E enquanto os oposicionistas buscam atrair descontentes do MDB para o lado contrário a Wellington, ganha corpo a discussão sobre outras alternativas para as eleições de outubro, entre elas a do ex-governador Wilson Martins (PSB) como candidato ao governo.

Essa discussão na oposição não é de hoje. Um dos pontos que mais gera debate é sobre qual o melhor caminho a seguir, se concentrando todos os esforços em uma candidatura única, ou multiplicando concorrentes como forma de viabiliar o segundo turno na disputa pelo palácio de Karnak. Esse tipo de discussão recoloca na mesa até mesmo o nome de João Vicente Claudino, filiado ao PTB.

Ocorre que João Vicente sempre defendeu a chapa única, observando que a terceira via nunca deu certo como estratégia eleitoral no Piauí. Ele lembra que a terceira via de mais êxito foi a dele mesmo em 2010, e ainda assim ficou distante dos dois candidatos que foram para o segundo turno.

Depois da crise na base governista, quando se deu o veto a Themístocles, esse debate voltou à tona. Foi aí quando surgiu a alternativa de Wilson ser deslocado da disputa pelo Senado para uma candidatura ao Karnak. Contatado pela coluna, o ex-governador disse que não está tratando de tal assunto.

“Estou saindo agora para o interior precisamente para cuidar da minha pré-candidatura ao Senado. Esse é o meu projeto”, disse ele no início da tarde.