Cidadeverde.com

Declaração de Wilson sobre candidatura ao Karnak cria dúvidas


Wilson Martins: em entrevista à TV Cidade Verde, ex-governador deixa expectativa sobre candidatura ao Palácio de Karnak

 

A possibilidade de Wilson Martins (PSB) mudar de projeto, deixando a disputa pelo Senado para concorrer ao governo do Estado, foi admitida ontem em entrevista ao Jornal do Piauí, na TV Cidade Verde. E a declaração de Wilson não passou despercebida, nem entre partidos governistas, tampouco entre os oposicionistas. A fala traz algumas dúvidas.

Na entrevista, Wilson Martins disse que está focado na campanha para o Senado e festejou de maneira quase eloquente o deputado Luciano Nunes (PSDB), o candidato que considera não apenas preparado para o governo como dono de uma real perspectiva de vitória. Mas, diante das especulações que o colocam na rota do Karnak e das pressões de lideranças políticas, ele terminou admitindo que não fecha de todo a porta para essa possibilidade.

Em bom politiques, a declaração foi interpretada como o desejo de ver a porta escancarada. Isto é: Wilson não estaria insensível aos apelos que vem recebendo, embora deixe claro que o candidato do grupo ao Karnak é Luciano. E somente Luciano pode se excluir desse processo.

Na base aliada, a entrevista de Wilson Martins foi recebida com alegria por membros de dois importantes partidos. São siglas onde há descontentamentos desde que o governador Wellington (PT) anunciou uma chapa majoritária em que seu partido ocupa duas vagas, além do veto a Themístocles Filho. Nessas duas siglas, Wilson é visto com um potencial extra para o enfrentamento a Wellington, sobretudo porque consideram vantajoso para o socialista a comparação entre governos.

No PSDB, no entanto, ficou a dúvida: Wilson quer ou não mudar de projeto? Um importante tucano, ligado ao Diretório Estadual, acha que a entrevista gera alguns ruídos. Mas o pensamento predominante no partido é que Wilson não está cogitando essa mudança e que seguirá apoiando Luciano.
 

PSB deve apoiar Ciro, diz Wilson

Na próxima segunda-feira, a Executiva do PSB se reúne em Brasília quando deve decidir qual a posição do partido em relação à disputa presidencial. O ex-governador Wilson Martins, integrante da Executiva, admite que há divergências dentro do partido. Mas acredita que a grande maioria está fechada com uma opção bem definida: Ciro Gomes (PDT).

O interesse em apoiar um candidato do PT estaria restrito ao PSB de Pernambuco, Bahia, Amapá e Paraíba. Já a opção por Geraldo Alckmin tem como principal referência os partidários situados em São Paulo. No restante do país, segundo Wilson, a tendência é pelo apoio ao ex-ministro Ciro Gomes.

No entendimento de Wilson Martins, essa será a decisão da próxima segunda. Independente dessa tomada de decisão, no entanto, ele ressalta que o PSB liberou os diretórios estaduais, que podem fazer as alianças que considerarem mais convenientes.