Cidadeverde.com

Tempo de Alckmin na TV será mais do dobro do candidato do PT

Encerradas e convenções e definidas candidaturas e alianças, fica estabelecido um importante componente do jogo eleitoral: o espaço de cada candidato no horário para propaganda eleitoral no rádio e televisão. Levantamento preliminar indica que Geraldo Alckmin (PSDB) deve ter mais de duas vezes e meia o tempo do candidato do PT, o ex-presidente Lula. Jair Bolsonaro (PSL) deve ficar com apenas 9 segundos de tempo.

O tempo de TV é resultado direto das alianças formadas. Cada partido tem direito a um determinado tempo, que está relacionado à representação da sigla no Congresso. É isso que gera a disputa por apoios oficiais dos partidos. É isso, portanto, que vai dar a Alckmin a maior fatia do tempo de rádio e TV, já que o ex-governador de São Paulo conseguiu formar o maior bloco de alianças na corrida pelo Palácio do Planalto.

Alckmin conta com o apoio de dez partidos, que somam 255 deputados, praticamente a metade da Casa. A legislação tenta reduzir a forças dessas alianças gigantes e permite que seja computado o tempo apenas das seis maiores siglas de uma coligação. Feitas as contas, Alckmin terá 5 minutos e 32 segundos nos blocos de propaganda eleitoral, veiculados às terças, quinta e sábado. Também terá direito a mais 12 inserções de 30 segundos por dia.

O segundo maior tempo caberá a Lula (PT) ou seu substituto. O PT teve dificuldade para formar alianças; vai para a campanha com o apoio do PROS, PCO e PCdoB. Deverá ter 2 minutos e 28 segundos, somados os 18 segundos garantidos por Manuela D’Ávila e seu PCdoB. Com essa composição, o candidato petista terá cinco ou seis inserções diárias. O terceiro colocado no tempo de TV é Henrique Meireles. Ele não tem aliados, mas o MDB sozinho garante 1m55s de tempo nos blocos de propaganda, além de 4 inserções diárias.

Ciro Gomes (PDT) terá 40 segundos e três inserções a cada dois dias, mesma situação de Álvaro Dias (podemos). Ruim mesmo é a situação de Marina Silva (Rede) e Jair Bolsonaro (PSL). A ex-ministra terá apenas 21 segundos nos blocos de propaganda e duas inserções a cada três dias. Bolsonaro tem menos tempo ainda: 9 segundos nos blocos e uma inserção a cada tr~es dias. Os dois terão que fazer render a atyuação que fazem nas redes sociais.

Os dados, levantamento, feito pelo jornal Valor Econômico, é preliminar e pode sofrer alterações com o registro das candidaturas.