Cidadeverde.com

Pesquisa mostra dificuldades de cada campanha


Wilson Martins, Frank Aguiar e Ciro Nogueira: os três primeiros colocados da disputa por duas vagas no Senado pelo estado do Piauí

 

A terceira pesquisa Cidade Verde/Opinar, divulgada ontem pelos veículos do Grupo Cidade Verde (TV, Rádio e Portal) traz sensações doces e amargas para as candidaturas. Primeiro porque deixa claro que o cenário está aberto na disputa pelo Senado e está longe de ser conclusiva sobre a disputa pelo governo do Estado. Cada lado pode apontar motivos para comemorar, ao mesmo tempo que deve anotar aspectos preocupantes.

Primeiro, a disputa pelo Senado.

Wilson Martins (PSB): É o líder desde a primeira pesquisa, com crescimento constante. Evoluiu cerca de 3 pontos percentuais. Seus seguidores mais de perto oscilaram. Mas Wilson sabe que há muito eleitor por se decidir, o que abre todas as possibilidades. Além disso, enfrenta forças bem estruturadas, como Ciro Nogueira e Marcelo Castro, que esperam ver fazer efeito o fato de serem governo.
Frank Aguiar (PRB): Mostra uma certa constância nas três pesquisas – ficou entre os três mais citados em todas elas. Tem apelo popular na condição de artista e estará no palanque que também traz um verniz de antipolítica. Mas não parece ter grande suporte, nem político nem estrutural. É uma incógnita que só a campanha vai decifrar.
Ciro Nogueira (PP): Melhorou a posição, apesar de oscilar no índice de intenções. É, com sobra, quem tem mais suporte político, além de uma robusta estrutura de campanha que normalmente faz diferença. Mas tem algumas resistências que espera superar com o amplo empenho de lideranças que o apoiam em Teresina e no interior.
Robert Rios (DEM): Oscilou para cima e deixou claro que não é um gato morto. Tem se valido do segundo voto de quem – como Ciro – não deseja ver fortalecidos adversários mais destacados. Diz que não está à procura de lideranças. Mas tem crescido pelo apoio delas: nas quatro maiores cidades do estado, tem o apoio dos prefeitos de três delas (Teresina, Parnaíba e Piripiri). Mas precisa de mais.
Marcelo Castro (MDB): Seu desempenho nesta pesquisa foi aquém do esperado pelos aliados. Mas não chega a ser um desespero. Tem o maior desafio de todos: mostrar que conta com apelo popular, conforme argumentou Wellington Dias ao escolhê-lo para a chapa. Esse potencial esbarra nas próprias querelas internas, muitas vezes pelo descasamento de voto com Ciro e, em outros casos, pelas rusgas dentro do próprio MDB.

A pesquisa aponta esses cinco candidatos como os que, de fato, disputariam as duas vagas no Senado. Mas como a campanha está apenas começando e os indecisos são mais que a soma das intenções, tudo pode acontecer.

DAQUI A POUCO, às 13:00:
Nova queda é alerta para Wellington Dias