Cidadeverde.com

Educação ruim afasta Nordeste do topo

Região que carece de um desenvolvimento diferenciado para reduzir o fosso social, o Nordeste estreita os horizontes com um desempenho na educação que fica longe de outras regiões. Os dados do MEC, que apontam a baixa proficiência dos estudantes brasileiros em matérias básicas como Português e Matemática, colocam o Nordeste em uma situação ainda mais dramática.

De acordo com o levantamento, 7 em cada 10 alunos do ensino médio têm nível insuficiente nas duas matérias. Pois se o dado revela uma tragédia nacional, a situação é mais trágica para Norte e Nordeste. No Nordeste, por exemplo, somente dois estados registram média de desempenho acima da média nacional – uma média que, vamos lembrar, não é lá essas coisas. Para piorar, os dois estados que conseguem fugir à regra o fazem pela metade.

Esses estados são Pernambuco e Ceará. Pernambuco consegue desempenho acima da média no ensino médio. Já o Ceará alcança o mesmo feito no chamado Fundamental 2 (de 5ª a 9ª série). As razões do êxito de cada um explicam porque os demais estão comendo poeira no quesito educação e, assim, perdendo horizonte.

O governo de Pernambuco investiu no ensino de tempo integral. Vale destacar: ensino de tempo integral, mesmo – com escolas com espaços de vivência, atividades extra-classe e ênfase em uma formação cidadã que integra a família na comunidade escolar. Muito diferente da maioria dos estados, onde a escola de tempo integral se resume tão somente à ampliação do número de horas-aula.

Já no caso do Ceará, o governo do estado também foi decisivo quando, em 2009, iniciou um trabalho de atuação junto às prefeituras para planejamento do ensino Fundamental e qualificação de professores. O resultado está aí, apresentando uma lição que poucos estados se animam a seguir.

O resultado mais visível é: quem investe em educação está conseguindo sair da vala comum e construir um outro destino.
 

Municípios do Piauí com IDEB alto

O Piauí em geral não está bem na fita das avaliações sobre a educação. Mas pelo menos alguns municípios ajudam a quebrar a má imagem, com resultados diferenciados. Vale a pena destacar pelo menos os 10 melhores, que alcançaram uma média no IDEB que merece ser festejada.

No caso de Teresina, cabe ressaltar que é o melhor desempenho entre as capitais em séries iniciais e no 9º ano. Mas há outros nove municípios que se destacam. Na primeira posição está Castelo do Piauí, que alcançou pontuação de 7,3 para as séries iniciais. Na segunda posição vêm empatadas as cidades de Domingos Mourão e Oeiras, com 7,1. O terceiro posto é ocupado por Pajeú e Teresina, com 6,8 pontos. O quarto lugar cabe, em solitário, a Buriti dos Montes, com 6,6 pontos. A quinta posição tem Bom Jesus, Sebastião leal e Tanque, todas com média de 6,3. O top ten é fechado por Água Branca, com 6,1.