Cidadeverde.com

Viagens de candidatos estão em descompasso com Nordeste


Ciro Gomes: agenda no domingo pela manhã traz o segundo candidato à presidência da República ao Piauí nesta campanha

 

No próximo domingo, o candidato do PDT à presidência da República, vai preencher uma lacuna: depois de cumprir agenda em Teresina, ele atravessará o Rio Parnaíba e cumprirá agenda em Timon. Ao pisar em solo maranhense, Ciro será o primeiro candidato a presidente a visitar o vizinho estado nesta campanha. Com isso, garantirá que todos os estados terão sido visitados por pelo menos um presidenciável, desde 16 de agosto, quando começou a campanha oficial.

O “esquecimento” do maranhão, no entanto, não é um caso isolado. O próprio Piauí, até agora, foi visitado por apenas um candidato a presidente: Álvaro Dias (Podemos). Já na fase de campanha, também foi visitado por Fernando Haddad (PT) mas quando o ex-prefeito de São paulo ainda era oficialmente candidato a vice. Outros quatro estados (Amazonas, Roraima, Rio Grande do Norte e Mato Grosso) só receberam uma visita de candidato, assim como outros quatro (Acre, Tocantins, Rondônia e Alagoas) tiveram a presença de apenas dois candidatos.

Os dados mostram um traço dessa campanha: é a região Sudeste o grande foco da campanha deste ano, tanto pelo tamanho do eleitorado como também pela possibilidade de repercussão dos eventos lá realizados. É no Sudeste onde estão as cabeças das principais redes de televisão e a sede dos grandes jornais e portais, o que pode facilitar a cobertura dos eventos de campanha.

Segundo levantamento do portal do Grupo Globo, Os 13 candidatos à Presidência realizaram, de 16 de agosto até o dia 19 de setembro (quarta-feira), 190 eventos de campanha. O estado de São Paulo concentra mais da metade: 101 eventos. Em seguida vem o Rio de Janeiro, com 36, e Minas Gerais, com 24. O quarto colocado é o Distrito Federal, menos pelo eleitorado e mais pela possibilidade de repercussão de casa acontecimento programado para lá.

São Paulo, Minas e Rio são os três maiores eleitorados do país. Juntos com o Espírito Santo formam o Sudeste e somam 43,3% do eleitorado nacional. Mas concentram mais de 80% dos eventos dessa campanha. Aí o Nordeste fica em um segundo plano. Mesmo com quase 40 milhões de eleitores (26,6% do total de 147,5 milhões de votantes), a região recebeu 34 eventos de campanha, cerca de 18% do total.

Os estados do Ceará (11 eventos) e Pernambuco (10) foram os que, na região, mais receberam a atenção dos que pretendem chegar ao palácio do Planalto. Depois vem o minúsculo Sergipe, com 5 visitas. Vai entender essa eleição.
 

Uma eleição diferente das demais

A eleição deste ano vai se mostrando um tanto diferente das anteriores. As peregrinações pelos estados foram em grande medida substituídas pelas ações midiáticas, onde os debates e sabatinas tiveram lugar de destaque. Vale lembrar que a participação de Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad no Jornal Nacional (Rede Globo) produziu repercussão enorme. Também foi assim com o atentado contra Bolsonaro e a substituição de Lula por Haddad.

Vale notar, Haddad e Bolsonaro estão entre os que menos andaram pelo país. Mesmo assim estão na frente das pesquisas. Já Alckmin, que tem o maior número de eventos da campanha, não anda tão bem assim com o eleitor.