Cidadeverde.com

Firmino perde ou ganha nesta eleição?


Firmino Filho com Marcelo Castro: o prefeito está em todas, no governo e na oposição, e deixa dúvidas sobre onde realmente está 

 

Muita gente se surpreendeu, no final de semana, ao ver distribuído um vídeo em que o prefeito Firmino Filho (PSDB) festeja o deputado Marcelo Castro (MDB), candidato a senador pela aliança governista. Não chegou a pedir voto. Mas fez a maior festa para o candidato, destacando feitos de Marcelo para o setor de Saúde, quando foi ministro. Independente do fato de fazer ou não justiça à atuação do parlamentar que um dia ocupou o Ministério da Saúde, o vídeo deixa à mostra questões sobre a conduta de Firmino nesta eleição.

Ao final de cada pleito, costuma-se perguntar quem ganhou e quem perdeu com o resultado final da disputa. Essa pergunta talvez deixe outras perguntas, no caso de Firmino. O fato é que não se sabe exatamente onde Firmino Filho está. É governo? É oposição? É PSDB? Ou não?

Firmino quis ser candidato ao governo, mas não se movimentou o suficiente para isso. E quando Luciano Nunes se colocou como alternativa, não gostou – atribuiu tudo à maquinação do ex-governador Wilson Martins (PSB), que estaria mais interessado em ter um palanque que lhe permitisse chegar ao Senado. Demorou muito até que o prefeito de Teresina se envolvesse na campanha do candidato do PSDB. Para muitos, entrou tarde.

Foi um envolvimento que não passou convicção, especialmente porque havia pelo menos duas prioridades anteriores para Firmino: a candidatura de sua mulher, Lucy Silveira (PP), concorrente a uma vaga na Assembleia; e a candidatura de Ciro Nogueira ao Senado. Tanto era assim que Firmino deixou claro que tinha dois candidatos ao Senado: Ciro e Robert Rios (DEM). E há ainda Margarete Coelho (PP), candidata a deputada federal que anda nos bairros de Teresina ciceroneada por Firmino e em companhia de Lucy.

Na lista prioritária de Firmino aparecem nomes do Progressista. Somente depois de três candidatos do PP é que aparece Luciano. Para complicar mais ainda o lugar em que está o prefeito, agora ele faz festa para Marcelo Castro.

Vai ficar difícil dizer se Firmino saiu-se vitorioso ou derrotado desta eleição.
 

Quem quer todos, não tem nenhum

Custa entender qual o projeto de Firmino Filho. Nem para este ano, nem para 2020 ou para 2022. Aparentemente, está atrelando seu futuro ao de Ciro Nogueira. Resta saber se como protagonista ou como coadjuvante.

Firmino está fragilizando o PSDB no lugar onde realmente tem força, a capital. Os candidatos proporcionais que sairão bem votados por obra e graça do prefeito e da prefeitura não são filiados ao partido – Lucy e Margarete, ambas estão no PP. Para completar a debacle tucana em Teresina, Luciano não será o mais votado. Pode até ser o terceiro.

Mas Firmino vai fazendo de conta que é de todos, está em todos os lados e tem ligação com todos, inclusive o PT de Wellington Dias. Os confetes em Marcelo Castro fazem parte desse jogo.

Firmino só esquece de uma máxima da política: quem acha que tem todos, no final das contas não tem nenhum.