Cidadeverde.com

Coligações fazem as contas por vagas e comando da Alepi

São 30 vagas. Mas, nas contas dos partidos e coligações, às vezes passam de 40. Osso porque, através de cálculo racional ou torcida descarada, as coligações e partidos não entram em acordo sobre o que cada um vai eleger para a Assembleia Legislativa do Piauí, no dia 7 de outubro.

A única coisa que há um razoável consenso é que a chapa governista, que tem quase uma dezena de partidos, deve fazer algo em torno de dois terços da Assembleia. Isso dará ao grupo a opção de presidir a Casa. Mas as concordâncias esbarram nessa conclusão, até porque o comando futuro da Alepi depende do jogo de força dentro de cada coligação.

Na coligação governista, a expectativa é que o MDB faça seis ou sete deputados. Mas o PP está ali por perto, apostando em pelo menos cinco eleitos. É também uma frente que se abre pelo comando da Alepi.

As coligações mostram forças díspares. A do governo com 57 candidatos, entre eles os mais votados. A de Elmano Ferrer com 65 candidatos, mas nenhum com chegue aos 25 mil votos. E a de Luciano com uns três ou quatro bem votados, mas apenas 12 postulantes. A coligação de Elmano quer eleger deputados na soma de candidatos medianos, assim como a de Fábio Sérvio, com 29 candidatos.

As projeções apontam para a disputa abaixo discriminada. Mas as eleições para a Assembleia sempre guardam boas surpresas.
 

Disputa para Deputado Estadual

COLIGAÇÃO DE WELLINGTON DIAS – 57 candidatos, eleição de 21 a 24 deputados estaduais.
• MDB: sonha em fazer seis ou até sete  deputados. Os mais citados são Themístocles Filho, Severo Eulálio, Zé Santana, Pablo Santos, João Madison, Liziê Coelho e Henrique Pires.
• PP: disputa com o MDB quem fará mais deputados. Acredita em pelo menos cinco, com destaque para Lucy Silveira, Wilson Brandão, Júlio Arcoverde, Hélio Isaias e Firmino Paulo. Tem ainda B. Sá e Belê Medeiros.
• PT: acredita-se que fará entre três e quatro deputados, mais os petistas falam em cinco. Os nomes mais lembrados são Fábio Novo, Francisco Limma, Flora Izabel, Franzé Silva, Ziza Carvalho e Paulo Martins.
• PTB: tem dois nomes considerados certos, Janaína Marques e Nerinho.
• PR: tem um nome considerado certo (Fábio Xavier) e possibilidades como o coronel Carlos Augusto e até Dr. Hélio.
• PSD: tem Georgiano Neto, que deve ser um dos mais votados desta eleição.
• PDT: tem um único candidato, Flávio Nogueira Jr, mas considerado barbada.
• PRTB: deve, sem sobressaltos, eleger Fernando Monteiro.

COLIGAÇÃO DE DR. PESSOA – 27 candidatos, eleição de 3 ou 4 deputados estaduais
• PTC: deve fazer dois, embora sonhe com três. Evaldo Gomes é tido como certo, seguido de Henrique Rebelo, Antônio Feliz e Francis Lopes.
• PRB: o Pastor Gessivaldo Isaias deve voltar para a Assembleia sem sustos.

COLIGAÇÃO DE LUCIANO NUNES – 12 candidatos, eleição de 3 ou 4 deputados estaduais
• PSDB: Marden Menezes e Zé Filho são considerados nomes certos na próxima Assembleia.
• PSB: dois nomes em destaque, o dos deputados Gustavo Neiva e Rubem Martins.

COLIGAÇÃO DE ELMANO FERRER – 65 candidatos, eleição de 2 a 4 deputados estaduais
• PV: Teresa Brito mostra força para ter uma das vagas da aliança.
• PHS: Tiago Vasconcelos se apoia na base evangélica para ter um mandato.
• Podemos: Sérgio Bandeira é uma possibilidade.
• PPS: Dr. Lázaro também é uma possibilidade.
• PRP: Paulo Roberto da Iluminação corre por fora.

COLIGAÇÃO DE FÁBIO SÉRVIO – 29 candidatos, eleição de 0 a 2 deputados estaduais
• PSL: Capitão Ânderson é lembrado.
• PROS: Aldo Costa é lembrado.