Cidadeverde.com

Carlos Augusto é nome mais cotado para Segurança


Coronel Carlos Augusto, quando comandante da PM: possibilidade de ser chamado para a Segurança

 

O governador Wellington Dias (PT) deveria ter hoje à tarde a primeira reunião com seu grupo político para encaminhar a campanha em segundo turno a favor de Fernando Haddad. E também para avaliar o processo eleitoral local recém-encerrado, quando conquistou o quarto mandato no Palácio de Karnak.

A reunião também deveria ser o ponto de partida de discussão do próximo governo, inclusive quanto às intenções de Wellington na redefinição do seu staff adminsitrativo. Nesse quesito está a possibilidade de usar deputados eleitos como integrantes de seu primeiro escalão. Um nome que vem sendo sistematicamente repetido no círculo próximo ao governador é do coronel Carlos Augusto, que pode assumir a Secretaria de Segurança.

Carlos Augusto foi comandante da PM e tem grande proximidade do governador, a quem acompanha desde o primeiro mandato. Nesse sentido atenderia a dois critérios considerados fundamentais para Wellington: conhecimento na área e ser de estreita confiança. Se Wellington assim decidir, não terá voz dissonante. Muito pelo contrário.
 

Poucos deputados serão chamados

No governo atual, Wellington utilizou vários deputados para compor seu primeiro escalão. Um deles, o deputado Fábio Abreu, ocupou precisamente a Secretaria de Segurança. Rejane Dias ocupou a poderosa secretaria de Educação, o que abriu espaço para os suplentes Silas Freire e Merlong Solano, que logo se licenciou para acimodar Mainha. No caso da Assembleia Legislativa, foram convodados até 11 nomes simultaneamente.

O governador já manifestou a intenção de chamar menos deputados, já que não precisa construir uma maioria legislativa: a aliança governista elegeu 8 federais e 24 estaduais. Os cálculos iniciais indicam que tende a chamar um nome entre os eleitos para a Câmara dos Deputados e quatro a cinco da Assembleia.