Cidadeverde.com

Cidade Verde coroa cobertura da eleição com entrevistas exclusivas


Joelson Giordani e Jair Bolsonaro, no Rio de Janeiro: entrevista exclusiva que revela a essência do candidato à presidência

 

Ainda faltam quatro dias para a eleição em segundo turno que vai definir o próximo presidente do Brasil. Mas o Grupo Cidade Verde corou neste início de semana uma das coberturas jornalísticas mais ampla, mais aberta e, assim, mais democrática da história das eleições por estas bandas. O tom superlativo veio com duas entrevistas exclusivas com os candidatos que disputam a etapa final da corrida pela Presidência da República. Um feito e tanto que só as cabeças de Rede – como Globo, SBT, Record e Band – conseguiram.

A entrevista de Fernando Haddad (PT), que foi veiculada na segunda-feira, e a de Jair Bolsonaro (PSL), veiculada nesta terça, dão um fecho especial em um esforço do Grupo Cidade Verde de levar a melhor informação ao eleitor. Melhor informação, entenda-se, não quer dizer a informação que mais agrada a A ou B. Quer dizer, sim, a informação que mais contribui para o debate real em torno dos rumos de uma determinada comunidade – neste segundo turno, o Brasil; no primeiro, o Brasil e o Piauí.

Os debates fictícios ocorreram aos montes Brasil afora – inclusive alguns debates entre candidatos, nos espaços midiáticos. O Grupo Cidade Verde também os realizou, com o cuidado de buscar não o simples confronto entre adversários, mas o embate de ideias entre concorrentes. Sabedora de que esse espaço é limitado, o Grupo Cidade Verde realizou sabatinas com todos os candidatos ao governo do Estado. Em entrevistas de profundidas, todos os 10 postulantes ao Karnak foram cobrados sobre ideais, propostas e compromissos.

Entrevistas semelhantes foram feitas com todos os 18 candidatos ao Senado, bem como os 10 candidatos à vice-governadoria. Os formatos escolhidos se pautou pelo desejo de sair do lugar comum, permitindo que o eleitor tivesse argumentos suficientes para decidir melhor. Perguntou-se sobre política, sobre ideologia, sobre planos de governos, sobre factibilidade desses planos. Também evidenciou-se as contradições e questionou-se propaladas coerências em cada postulante.

Nem contra Fulano ou Beltrano, tampouco a favor. Sempre a favor, sim, da Democracia – assim, com maiúscula –, do direito do eleitor/cidadão estar bem informado. Esse esforço se manteve no segundo turno, quando os piauienses passaram a ter unicamente a preocupação com o Palácio do Planalto. As entrevistas com Haddad e Bolsonaro coroam o esforço desse compromisso do Grupo Cidade Verde com cada piauiense, e com a Democracia.

Francisco Lima e Fernando Haddad, em Picos: questionamentos que permitem ao eleitor conhecer melhor cada candidato

Entrevista repercute nacionalmente

A repercussão das entrevistas realizadas através de Francisco Lima (Haddad) e Joelson Giordani (Bolsonaro) dá a dimensão da importância do trabalho. Nesta terça-feira, a Folha de S. Paulo destacou declarações de Bolsonaro feitas à Cidade Verde. Independente de quem goste ou desgoste da fala do candidato do PSL, a repercussão revela que a entrevista trouxe novidades e lançou luzes mais claras sobre o pensamento do candidato.

Joelson e Francisco estão de parabéns. Fizeram belas entrevistas, sem contemporizações, questionando o que devia ser questionado, colocando-se na perspectiva do eleitor que tem dúvidas inclusive sobre o candidato de sua preferência. Os dois ajudaram a quase encerrar essa cobertura especial que começou ainda em maio. Sim, quase encerrar: não terminou; a votação é domingo e até lá a Cidade Verde estará atenta.

Depois, aí começa um novo capítulo: cobrir os governos que se formam, sempre com o olhar crítico que o cidadão pede.