Cidadeverde.com

Prêmio para a Agustinho Brandão mostra caminho para ensino


Reconhecimento: no centro da foto, a estudante Lanielle traduz as conquistasn da Escola Agustinho Brandão  (FOTO: Délio Rocha)

 

A escola de ensino médio Augustinho Brandão, de Cocal dos Alves, conseguiu um feito: conquistou o Prêmio Darcy Ribeiro de Educação, que é dado a cada ano pela Comissão e Educação da Câmara dos Deputados. O feito é ainda maior tendo em conta que é a primeira vez que o Prêmio é dado a uma escola pública. A conquista só não esconde um detalhe: a incapacidade da gente aprender com a Agustinho Brandão a lição de como fazer ensino público diferenciado.

O modelo de Cocal dos Alves tem uma série de elementos que o fazem vitorioso. O primeiro, é uma concepção pedagógica que torna o processo educacional instigante e interessante. Esse é um dos grandes desafios da escola pública brasileira, considera pouco estimulante – o que resulta em baixo rendimento e em alta evasão ou reprovação. Cocal conseguiu contornar esse problema desde o início, por um viés de origem.

Vale lembrar, a experiência distinta na educação de Cocal começa com um projeto de extensão de professores do curso de Matemática da Universidade Federal do Piauí, tendo à frente o professor João Xavier. Uma das tarefas era tornar atraente o ensino de matemática, sempre vista como bicho-papão. Cuidaram primeiro dos professores locais. Logo vieram os desafios competitivos, parte desse prazeroso envolvimento com os números.

Daí, a experiência de Cocal começou a ganhar prêmios e ter ressonância Brasil afora. Foi uma forma de dizer: “o modelo funciona”. Cabe destacar que funciona também porque teve continuidade, contornando a tentação política: lideranças locais renderam-se ao êxito, inclusive abrindo mão da indicação política de gestores da escola, prevalecendo o critério técnico.

A equipe da Agustinho Brandão funcional como tal. E há uma dedicação pouco comum, além da construção de um ambiente de ensino que envolve todos, inclusive as famílias dos alunos. É uma receita que está em todos os manuais da boa educação, mas que teimamos em não adotar a não ser em casos isolados como o de Cocal.
 

O desafio de multiplicar Cocal

O Prêmio Darcy Ribeiro é só a última conquista da escola de ensino médio Agustinho Brandão. A maior premiação, no entanto, tem sido o êxito: para se ter uma ideia, mais de 70% dos alunos da Agustinho Brandão passam no ENEM. Poderia conquistar mais, através da multiplicação do modelo. Tantos prêmios deixam claro: é possível fazer educação pública de qualidade. De muita qualidade.

O cenário de entrega do Darcy Ribeiro, ontem, na Câmara dos Deputados, é bem tradutor do tamanho da conquista. Estava em destaque a estudante Lanielle Andrade. Em eventos anteriores, esse lugar cabia a estudantes de escolas caras dos grandes centros do país. Desta vez, foi Lanielle, que vem de uma escola pública de uma cidade pobre do interior do Nordeste.