Cidadeverde.com

PP agora aposta em Hélio Isaías para presidência da Assembleia


Hélio Isaías: com o sonho frustrado em 2015, ele volta a ter o nome como alternativa à Presidência da Assembleia  (FOTO: ALEPI/Divulgação)

 

O Progressista não perdeu a fé na conquista da presidência da Assembleia Legislativa do Piauí, na eleição que acontecerá no início da nova legislatura, em fevereiro. Mas começa a dar fôlego a um novo específico. Nem Júlio Arcoverde, nem Wilson Brandão. O nome que vai sendo incentivado pela cúpula do PP é o do deputado Hélio Isaias.

A busca de um novo nome tem a ver com a necessidade de encontrar uma espécie de grande aliança para enfrentar a candidatura do atual presidente Themístocles Filho (MDB). O razão desse novo rumo é que a ideia de um acordo do PP com o PT enfrenta alguns senões, como a tendência de dois dos cinco deputados petistas na Assembleia preferirem a reeleição de Themístocles.

O problema é que a Carta feita pelo Progressista no início de novembro, dando sugestões sobre como deveria ser o novo mandato de Wellington Dias, gerou desconforto entre muitos petistas. O entendimento é que o PP de Ciro Nogueira tem tudo para ser uma grande pedra no sapato do PT, na luta pelo Palácio de Karnak em 2022. Daí, deixar o comando da Assembleia com Ciro seria dar a ele demasiado poder. E criar problemas sérios para o próprio PT.

E se é assim, alguns petistas preferem Themístocles. É daí que o próprio PP coloca gás na pretensão de Hélio Isaias, na tentativa de dar forma prática ao tal acordo. Esse movimento parte do princípio de que Hélio tem poucas arestas e, portanto, maior viabilidade na disputa.
 

Uma nova tentativa de Hélio

A possibilidade de Hélio Isaias disputar a presidência da Assembleia traz de volta um sonho que o deputado já alimentou há 4 anos. Após a eleição de 2014, ele se colocou como alternativa, com a credencial de à época pertencer ao PTB, que elegera 5 deputados. Mas o próprio PTB não deu suporte a Hélio, que saiu da disputa. Então o governo resolveu apoiar Fábio Novo (PT) – que, apesar de todo o empenho do Karnak, foi derrotado por Themístocles.

Hélio mantém o sonho, mas vinha se situando em posição discreta. Agora está sendo chamado a entrar na disputa. Ganha o suporte de boa parte do próprio partido e de um pedaço do PT. Mas terá uma dura tarefa pela frente: enfrentar Themístocles Filho não é fácil, mesmo que tenha o apoio do Karnak.

Fábio Novo já sentiu o amargo dessa dura realidade em fevereiro de 2015.