Cidadeverde.com

A tesoura chega ao ‘Sistema S’. E agora?


Paulo Guedes, futuro superministro da Economia: cortes nos recursos do 'Sistema S' podem chegar a 50%

 

Há muito o "Sistema S" é objeto de discussões, com repetidas sugestões de cortes nos seus recursos. Mas nunca ninguém teve o atrevimento de impor cortes nos repasses a título de tributos federais que mantém um conjunto de entidades ligadas ao setor empresarial. Pois agora essa história mudou: o governo Bolsonaro vai fazer cortes nos repasses destinados ao Sistema. E serão cortes imediatos, segundo informaram os integrantes da equipe econômica do governo que começa em duas semanas.

Fazem parte do Sistema instituições como SESI, SENAI, SESC e SEBRAE. Têm um trabalho amplo e reconhecido. Mas sempre recebeu críticas de alguns que tentavam cortar as asas do Sistema. Essas “asas” podem ser medidas em bilhões: mais precisamente, em números de 2017, R$ 16,4 bilhões repassados pela Receita Federal para o grupo de 9 instituições.

O futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, deu a má notícia em reunião com empresários no Rio de Janeiro. E não foi sequer gentil: avisou que vai “meter a faca” – assim mesmo, com essas palavras. Diante do burburinho de desconforto na plateia, Guedes reagiu com um irônico “óóóóó”, imitando o mesmo burburinho. E avisou: se houver interlocutor no empresariado, o corte será de 30%. Se não tiver diálogo, o corte será de 50%.

Será um baque para instituições que contam com ampla atuação. Basta lembrar o caso do SEBRAE, um instrumento fundamental no desenvolvimento de novos caminhos para a economia local. Um bom exemplo é o Festival de Inverno, em Pedro II, que nasceu como uma iniciativa do SEBRAE.

O corte vai fazer falta. E fica pergunta: e agora?
 

O tamanho do Sistema S

O Sistema S tem dupla função: qualificação técnica de trabalhadores e ações sociais e culturais em cada setor de atuação empresarial. O Sistema é composto das seguintes instituições:

• Ligado ao campo, o Sistema Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR);
• Ligado ao Comércio, o Serviço Nacional do Comércio (SENAC) e o Serviço Social do Comércio (SESC);
• Ligado ao cooperativismo, o Sistema Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (SESCOOP);
• Ligado à Indústria, o Sistema Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e o Serviço Social da Indústria (SESI);
• Ligado ao Transporte, Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SENAT) e Serviço Social do Transporte (SEST):
• Ligado ao empreendedorismo, o Serviço Nacional de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE).