Cidadeverde.com

Banco do Nordeste ganha papel estratégico em 2019


O setor produtivo será o principal foco dos investimentos do Banco do Nordeste, em 2019, para fortalecimento da economia regional

 

O czar da economia, Paulo Guedes, ainda não deu a ordem de comando, mas os sinais estão postos: os investimentos regionais terão papel fundamental na estratégia de retomada do desenvolvimento em 2019. No que diz respeito ao Nordeste, o papel mais destacado será cumprido pelo Banco do Nordeste, com investimentos orientados para as atividades produtivas – em especial o setor agrícola, de pequenos, médios e grandes produtores – e também para o fortalecimento da infraestrutura.

O foco na infraestrutura se justifica por vários aspectos. O primeiro, é que o investimento nesse setor tem reflexo imediato na geração de emprego, o grande gargalo da economia brasileiras dos últimos quatro ou cinco anos. Outro fator fundamental é que a infraestrutura produtiva dará horizonte mais largo à economia, com a concretização de negócios no médio e longo prazo.

Instituições como o Banco do Nordeste deverão dar suporte aos investimentos com esse enfoque. Vai ser o fortalecimento da estratégia geral do governo Bolsonaro, que pretende ter na retomada da atividade econômica o principal ponto de sustentação popular no médio e longo prazo.

A diretriz do governo central vai, na prática, dar mais fôlego a uma linha de atuação que o Banco do Nordeste já tinha abraçado este ano com resultados bem positivos. Em 2018, o banco investiu R$ 41 bilhões, uma marca histórica. Desse total, R$ 30 bi foram através do Fundo Constitucional do Nordeste, o FNE, principal fonte de recursos da instituição. Metade disso foi para ações de infraestrutura, foco que deverá ser incrementado com o novo governo.
 

Banco injeta R$ 2 bilhões no Piauí

O incremento dos investimentos do Banco do Nordeste se refletiu no Piauí, que somou R$ 2 bilhões em operações de crédito em 2018. Ao todo, foram contratadas no estado 63 mil operações de crédito com recursos do FNE. Dividido por setor de investimentos, a ações de infraestrutura somaram R$ 673 milhões.

Na divisão por dimensão dos negócios, a distribuição fica assim: R$ 303 milhões para projetos de médio porte; R$ 263 milhões para os pequenos negócios; e R$ 223 milhões para grandes empreendimentos. Por área geográfica, o semiárido piauiense representou mais de 40% do total, com contratos que somaram R$ 870 milhões.

Em termos regionais, o Banco do Nordeste espera superar em 2019 o recorde de investimentos registrados em 2018.