Cidadeverde.com

Estilo Bolsonaro é o oposto do formalismo de Temer. Compare


Jair Bolsonaro: gestos e estilo do novo presidente são bem diferentes daqueles do antecessor, Michel Temer  (FOTO: PSL/Divulgação)

 

Diz-se que o estilo é o homem. Ou seja: o modo como cada um se porta revela o que cada um é de fato. Se for assim, a mudança no governo federal vai ser brutal. Ainda que haja algumas (ou mesmo muitas) proximidades de pensamento entre o governo que sai e o que chega, é notória a diferença de estilo entre o já ex-presidente Michel Temer (MDB) e o agora entronizado Jair Bolsonaro (PSL).

O jornal Folha de S. Paulo relacionou um leque de itens mostrando as diferenças, dando ideia do que era a regra até o 31 de dezembro e o que pode-se esperar a partir desse primeiro de janeiro. Na lista, coisas bem relevantes – como o grupo de conselheiros de cada um: Temer se cercava de juristas, enquanto Bolsonaro tem militares como principal suporte.

Mas há coisas para simplesmente rir. Por exemplo, o marqueteiro referencial de cada um: o de Temer seria Michelzinho, o filho que com apenas 6 anos escolheu a marca do governo; o de Bolsonaro, é o filho Carlos, que cuidou das redes sociais na campanha.

Veja aí o que sai e o que entra no poder brasiliense a partir da troca de comando:
 

DISCURSO: após as mesóclises tipo “sê-lo-ei”, agora é a vez do monossilábico e exclamativo “Pô!”.
COMUNICAÇÃO: sai a Assessoria de Imprensa e entra o Twitter.
EXPRESSÃO: deixam de vigorar frases como “Exata e precisamente” e vinga o direto “Tá ok?”.
GESTO: sai a mãozinha dançando e entra a mãozinha atirando.
ROUPA: terno completo vai pro guarda-roupa; e de lá saem as camisas esportivas tipo Nike.
APOIO: os juristas perdem protagonimso, substituidos pelos militares.
ESPORTE: brinca-se que quando se falava do Campeonato Brasileiro de Futebol, Temer perguntava: “O que é futebol?”. Temer é um são-paulino não praticante. Já o palmeirense Bolsonaro é daqueles de ir ao estádio.
INSPIRAÇÃO: sai o Direito Constitucional. Entra a Bíblia.
REUNIÕES: os encontros no  Palácio Jaburu são substituídos pelos grupos de WhatsApp, acionado a qualquer hora do dia.
CAÇULA: até ontem era Michelzinho, 9 anos. Agora é Laurinha, 8 anos.
MARKETING: sai Michelzinho (que escolheu a marca de governo) e entra Carlos Bolsonaro (que cuidou das redes sociais do pai).

Muida muito. Mas nem tudo

As mudanças de estilo serão realmente muitas, algumas gritantes. Mas nem tudo muda. Veja o que, de certa forma, se mantém.

JUVENTUDE: sai Marcela, 35 anos (43 anos mais nova que Temer) e entra Michele, 38 anos (25 menos que o marido).
FILHO PROBLEMA: sai Maristela, aquela da reforma da casa que ainda pede explicações. Entra Eduardo Bolsonaro, o rapaz das declarações polêmicas e motorista mais polêmico ainda.
CALCANHAR DE AQUILES: Antes, era o dinheiro da mala; agora é o dinheiro do motorista.
TIETAGEM: sai Silvio Santos, entra Silvio santos.