Cidadeverde.com

Wellington vai criar secretaria de Agronegócios e extinguir duas outras


Wellington Dias: governador faz ajustes finais na proposta de reforma administrativa que extingue e cria secretaria  (FOTO: CCom / Divulgação)

 

Já em fase final de formatação, a reforma administrativa que o governador Wellington Dias (PT) vai encaminhar à Assembleia Legislativa extingue nove coordenadorias, elimina duas secretarias com fusões e cria uma nova pasta, a Secretaria de Agronegócios. E há ainda uma importante discussão interna: o que fazer com a Fundação Hospitalar – que tanto pode ser mantida como terminar extinta.

Extinções com fusões:
Deixarão de existir as secretarias de Mineração e do Trabalho. A pasta que cuida da mineração vai se integrar, através de fusão, à Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação. Já a secretaria do Trabalho passa a fazer parte da estrutura da SASC, que já tem ações relacionadas a esse campo.

Secretaria para o agronegócio:
A disputa entre PT e PSD pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) acaba com a decisão do governador de criar a Secretaria do Agronegócio. Assim, o PT mantém o controle da SDR e a atenção aos pequenos produtores, em especial à agricultura familiar. Já a nova secretaria deve recair na conta do PSD, pelo vínculo histórico do deputado Júlio Cesar com o agronegócio.

Acabam Coordenadorias:
As coordenadorias criadas em 2017 para acomodar aliados do MDB serão extintas. São nove. Permanecem três que já existiam antes – as do combate às drogas, atenção à juventude e políticas para a mulher. Nessa conta não entra a CCom, que de fato tem status e estrutura de secretaria.

Dúvidas sobre Fundação Hospitalar:
Em outros estados, a criação de Fundações Hospitalares melhorou o funcionamento da saúde pública. Aqui no Piauí essa mudança praticamente não surtiu efeito. Daí, a fundação pode ser mantida ou não. Certo mesmo é que os hospitais perdem autonomia financeira.

 

Reforma espera definição das comissões na Assembleia

O desenho da reforma está em fase final: na sexta-feira, o governador Wellington Dias fez reparos ao projeto e esta semana a equipe encarregada deve dar forma definitiva ao texto. Mas o encaminhamento ainda passa com uma conversa com os líderes partidários e, principalmente, pela definição dos presidentes das comissões técnicas na Assembleia Legislativa.

Segundo o presidente da Assembleia, deputado Themístocles Filho (MDB), essa definição ocorrerá até meados da próxima semana. O governo quer ter aliados confiáveis em comissões estratégicas, como a CCJ, pretendida pelo MDB para João Madison. Somente depois disso o projeto já praticamente fechado será encaminhado.