Cidadeverde.com

Rodrigo Maia quer Átila Lira no DEM


Átila Lira: de saída do PSB, deputado tem convite para filiação no PP, PSDB e agora no DEM de Rodrigo Maia  (FOTO: Câmara / Divulgação)

 

Prestes a deixar o PSB, o deputado federal Átila Lira tem três opções de legenda como destino. O convite mais recente é do DEM, através de ninguém menos que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Átila já vinha sendo cortejado pelo PP e pelo PSDB, mas ele não quer tratar concretamente de uma nova sigla até ter resolvida a situação interna no PSB.

Rodrigo quer fortalecer a sigla. E tem em Átila um aliado próximo: o parlamentar piauiense foi voz divergente na reunião do PSB que decidiu por uma candidatura de oposição à presidência da Câmara; no encontro, Átila anunciou seu apoio a Rodrigo. Agora, Rodrigo voltou a cortejar o piauiense.

O deputado do PSB esteve muito próximo do DEM no início do ano passado, antes da janela de migração partidária. Um apelo do ex-governador Wilson Martins referendado por Márcio França – que em abril assumiria o governo de São Paulo –, levou o deputado piauiense a permanecer na sigla socialista.

Mas a derrota de França na disputa pelo governo de São Paulo, bem como a de Wilson para o Senado, deixou Átila sem condições de permanecer no PSB. Ele precisa, no entanto, pactuar a saída da sigla, sob pena de ter ameaçado o próprio mandato, por infidelidade partidária. A expectativa de pessoas próximas ao parlamentar é que ele possa chegar a esse entendimento até abril.

Átila tem convite do PP, através do presidente nacional do partido, senador Ciro Nogueira (PI). Outra possibilidade é o PSDB: o deputado tem convite da própria direção nacional da sigla, bem como simpatia de um grande número de tucanos piauienses. O convite de Rodrigo Maia pode mudar todo o cenário e, claro, o destino partidário de Átila.
 

Divergências com PSB são antigas

Há pelo menos dois anos Átila vem divergindo da direção nacional do PSB. Isso ficou bem claro em dois momentos do governo Temer: na votação das reformas e na apreciação das denúncias contra o presidente. A direção nacional do PSB era contra as reformas e queria a abertura de inquérito contra Temer. Átila divergiu.

O deputado piauiense diverge profundamente da pauta econômica do partido, em especial ao defender a necessidade de reformas como a da Previdência. Isso tudo foi tornando cada vez mais difícil a relação com o comando do PSB, que é visto por muitos como autoritário e com uma visão dissociada das demandas atuais do país.

A formalização da ruptura é só uma questão de tempo.