Cidadeverde.com

Wellington vai chamar suplentes, acreditam aliados


Hélio Isaias: aliados do governo vêem o deputado como futuro integrante do secretariado de Wellington  (FOTO: Alepi / Divulgação)

 

A disposição do governador Wellington Dias (PT) de não chamar um único deputado estadual para compor o secretariado pode ser uma decisão com tempo limitado. Pelo menos esta é a crença de diversos integrantes da base governista na Assembleia, que acreditam que esse “chega prá lá” na bancada do legislatibvo estadual não deve durar nem até a metade deste ano.

Entre os parlamentares, há a expectativa de que o governador chame no futuro pelo menos três deputados, dando lugar a três suplentes. E pelo menos o nome de um dos deputados que seriam chamados é repetido sem resguardo: o nome de Hélio Isaias (PP). Hélio era o candidato a presidente da Assembleia, em disputa com Themístocles Filho (MDB). Mas desistiu em nome de um acordo que garantiu um novo mandato ao presidente da Casa.

As avaliações dos deputados vai adiante no desenho de mudanças futuras. Além de um deputado do PP transformado em secretário, o governador pode chamar ainda um represente da bancada do PT e outro do MDB. Não se dá mais muito crédito à possibilidade do deputado Georgiano Neto (PSD) assumir um lugar no secretariado, a não ser que esse lugar seja diferente da secretaria de Agronegócios. Essa pasta, criada com a reforma administrativa, teria sido moldada sob encomenda para Georgiano. Mas, ao que parece, a pasta ficou muito esvaziada, pelo menos para o gosto do representante do PSD.
 

PT quer suplentes na Assembleia

Desde que o governador Wellington Dias anunciou que não chamaria nenhum deputado estadual, a reação mais forte contra essa decisão surgiu dentro do próprio PT. O partido sonhava em emplacar pelo menos três suplentes, ao mesmo tempo que cederia um deputado para uma vaga de secretário. Com isso, a bancada petista teria dois membros a mais, passando a ser o maior bloco legislativo.

O primeiro suplente na aliança governista da eleição passada é B. Sá Júnior (PP). Mas os três seguintes são petistas: Warton Lacerda, Ziza Carvalho e Cícero Magalhães. Tem um detalhe a mais nessa história: os petistas deixam claro que desejam que os suplentes sejam chamados. Os integrantes de outras bancadas também desejam, apenas não explicitam.