Cidadeverde.com

Piauí já tem quase 2,4 mil na malha fina da Receita

 

Faltando mais de um mês para o final do prazo de declaração do imposto de renda, o Piauí já tem quase 2,4 mil contribuintes na malha final. São exatas 2.388 declarações que mostraram algum tido de conflito de informação. A projeção da Receita Federal é que 240 mil contribuintes piauienses prestem contas com o “Leão” este ano – em todo o Brasil serão cerca de 30,5 milhões. Até o momento, 53 mil declarações foram transmitidas no estado, o que significa que faltam quase 190 mil.

À medida que as declarações vão chegando ao banco de dados da Receita Federal elas vão sendo processadas. Isso permite que os que declaram primeiro, quando têm direito a restituição, também entram nas primeiras listas de devolução. Mas também significa que, se fazem declarações indevidas, também entram logo na malha fina.

Conforme informações da Receita, as principais causas que levam à malha fina são as informações sobre despesas com saúde e omissão de rendimentos. No caso dos gastos com saúde, a Receita adverte que os “valores declarados devem estar suportados por documentos”, tais como recibos, notas fiscais, cópias de cheques nominativos, transferências bancárias e boletos. Os dados postos na declaração serão “confrontados com os valores declarados pelos profissionais, laboratórios e planos de saúde” – ressalta a Receita. A inconsistência leva os dois à malha fina.

Já no caso das informações sobre rendimentos, o “Leão” faz a confrontação com as declarações feitas pelos empregadores. As empresas informam valores associados ao CPF do contribuinte, que precisam ser condizentes com as informações apresentadas pelo empregado. Nesse sentido, não é raro a exclusão de uma fonte pagadora, o que implica em ser levado quase automaticamente para a malha fina.
 

Receita Federal faz alerta

Na declaração deste ano, as mudanças foram poucas em relação ao ano passado. Uma das principais é a necessidade do contribuinte informar o CPF dos dependentes e alimentandos, independente da idade. Outra mudança, para quem faz doações com base no ECA, é o local da informação: até 2018, o valor devia estar no Resumo da Declaração; agora, integra o bloco de "Fichas da Declaração".

Para não cair na malha fina, a Receita adverte para a importância de se fazer a conferência da declaração. O programa evidencia pendências. E para os que caírem na malha, as pendência podem ser conferidas e corrigidas pelo e-CAC, portal eletrônico que funciona como um Internet Banking.