Cidadeverde.com

Átila quer o DEM como frente, e opção de poder

Foto Divulgação / Câmara dos Deputados

Átila Lira: deputado está de mudança para o DEM com um projeto mais amplo de poder 

 

O deputado Átila Lira (PSB-PI) vem se movimentando no sentido de construir um grupo político que possa ser uma real alternativa de poder nas próximas eleições. O esboço do projeto parte de duas siglas, dando um caráter de frente política à ação. O primeiro passo será a definição do próprio futuro partidário do deputado, que deve ser mesmo o DEM.

Átila está filiado ao PSB. Mas o parlamentar piauiense não está à vontade na sigla, nem o partido está de bem como ele: há diferenças profundas de visão, em especial no campo econômico – e a reforma da Previdência é um exemplo dessa distância. ,O problema é que o parlamentar não pode sair sem prévio entendimento, sob pena de punição, incluindo o risco de perda de mandato. É o que determina a lei. As duas partes conversam e é possível um divórcio amigável, permitindo que Átila deixa o PSB sem punição.

Destino é o DEM
Átila tem diversos convites: PSL, PSDB e inclusive do PP de Ciro Nogueira. Mas deve desembarcar mesmo no DEM de Rodrigo Maia, o presidente da Câmara. Daí, terá a tarefa de reconstruir a sigla no Piauí, que conta ainda com Heráclito Fortes e Robert Rios. O primeiro desafio será manter Robert nos quadros.

Controle do PSL
Átila ainda nem saiu do PSB para o DEM, mas já tem controle sobre outra sigla: é o PSL. Muito pelas articulações do deputado em Brasília, o partido de Jair Bolsonaro terminou sob o comando do vereador Luís André. E o vereador é aliado de Átila, em quem votou na eleição passada.

Atração de Wilson Martins
Para dar força ao DEM, Átila Lira não quer desembargar sozinho. E tenta chegar no Democrata em companhia do ex-governador Wilson Martins e seu grupo de lideranças. Wilson tem boa relação pessoal com o comando nacional do PSB, mas carrega o mesmo problema político de Átila: o partido segue caminhos diferentes do pretendido pelo ex-governador. Por exemplo: tende a se aliar ao PT, o que não é a perspectiva de Wilson.

Pedaços do PSDB
O DEM pode ser destino também de parte do PSDB, caso os tucanos não consigam se reconciliar. Firmino tenta essa reconciliação, mas ela dificilmente acomodaria nomes como Marden Menezes. Daí, o DEM pode ser o caminho para esses descontentes.