Cidadeverde.com

Demissão de diretor reanima movimento da Chesf-Piauí

Um pedido de demissão, na semana passada, animou o centro operacional da Companhia Hidroelétrica do São Francisco (CHESF) no estado do Piauí. João Henrique de Araújo Franklin Neto apresentou na sexta-feira seu pedido de demissão do cargo de Diretor de Operações da estatal. João Henrique era identificado como o principal avalista de importantes mudanças na CHESF, incluindo a desativação do Centro Operacional de Teresina, que passaria a responder ao núcleo de Fortaleza.

João Henrique alegou questões pessoais para deixar o cargo, um dos mais importantes na estatal. Mas a saída está mesmo sendo associada às repercussões extremamente negativas de suas diretrizes como gestor. O administrador agora demitido apostava em uma CHESF de estrutura muito reduzida e de pouco diálogo com os estados, bem como com o corpo técnico da companhia. Provocou reações de todo tipo, sobretudo negativas. Caiu.

Na unidade da CHESF no Piauí, João Henrique era visto com lentes muito negativas. O entendimento predominante na unidade regional da companhia era que o ex-diretor tinha uma visão meramente financeira, apostando em cortes de custos que não enxergavam o impacto técnico. O rebaixamento da unidade piauiense estaria dentro dessa visão estreita, com perdas técnicas de extrema relevância.

Daí, a saída de João Henrique reanima as esperanças dos piauienses de manter o centro operacional da CHESF no estado. Na avaliação da maioria dos técnicos que compõem a unidade regional, levar as operações daqui para Fortaleza – como queria o diretor que acaba de deixar o cargo – tira poder estratégico fundamental para a melhor eficiência do próprio sistema operacional da estatal.

A expectativa agora é sobre quem será o substituto de João Henrique. A esperança dos integrantes da unidade da CHESF no Piauí é que o noco diretor venha com uma visão distinta, capaz de enxergar o papel estratégico da unidade piauiense da companhia.