Cidadeverde.com

PSL tem meta de eleger 10% dos prefeitos em 2020

Foto Glenda Uchoa / Rádio Cidade Verde
Vereador Luis André: meta do presidente do PSL é eleger 10% dos prefeitos do Piauí nas eleições de 2020 


O PSL quer eleger, no próximo ano, cerca de 10% dos prefeitos brasileiros. A meta também vale para o estado do Piauí, onde o partido quer eleger entre 20 e 25 prefeitos e 100 vereadores, segundo informou o presidente regional da sigla, vereador Luís André. Entre as cidades colocadas como alvo prioritário do PSL está Teresina, onde o partido pretende ter não apenas uma candidatura própria, mas um concorrente competitivo, segundo disse o vereador.

Ainda de acordo com Luís André, as metas para 2020 foram definidas pela direção nacional, que tem um olhar mais detido para as cidades onde há televisão. Isso demonstra a estratégia de manter o discurso de mudança que tem mantido um significativo número de aliados do presidente Jair Bolsonaro – como, segundo avalia o vereador, demonstraram as manifestações de domingo passado.

Luís André busca reeleição

As cidades do Piauí com emissoras de TV com programação própria são Teresina, Parnaíba, Floriano e Picos – embora esta última não tenha espaço para propaganda eleitoral. Luís André diz que será olhada ainda a força do rádio em cidades polo. Reafirma Teresina como prioridade e diz que vão escolher um candidato a prefeito competitivo. Ele cita, por exemplo, o nome da vereadora Teresinha Medeiros.

“Fizemos contato com o empresário André Bahia mas ele, neste momento, não está focado na disputa eleitoral”, disse Luís André. Ele acrescentou que não colocou seu próprio nome como alternativa. “Eu sou candidato à reeleição a uma vaga na Câmara”, diz.

Diretórios definidos antes de julho

Com a intenção de se fortalecer, a próxima etapa do partido é constituir diretórios municipais nas principais cidades do Estado. Segundo o vereador Luís André, o prazo estabelecido pelo próprio partido para essa definição é o final do mês de junho. Os diretórios já devem contar com lideranças que estão sendo atraídas para a sigla.

Segundo Luís André, em algumas cidades essa definição já está finalizada. Mas o prazo geral que o partido se deu é a virada do semestre. “Queremos evitar aquela história de entrar hoje no partido e sair na semana que vem, como acontece com outras siglas. Queremos ter os diretórios já com aqueles nomes que estarão empenhados nas campanhas do próximo ano”, afirma.