Cidadeverde.com

Ação de Elmano pode gerar plano turístico

Foto Divulgação / Gabinete do Senador Elmano Ferrer
Elmano Ferrer com o ministro Marcelo Álvaro: expectativa de um novo rumo para o turismo em São Raimundo Nonato


É apenas uma reunião. Mas pode ser um primeiro passo importante: no dia 24 de julho a cidade de São Raimundo Nonato vai receber de uma só vez três ministros (os do Turismo, Infraestrutura e Cidadania) e mais o diretor da ANAC, a Agência Nacional de Aviação Civil. Na pauta a discussão de um plano de ação que possa redimensionar o turismo em uma região onde há altíssimo potencial e, ainda, baixíssima presença de visitantes.

A reunião foi uma iniciativa do senador Elmano Ferrer (Podemos), consagrada em audiência com o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. A ideia do encontro foi logo confirmada pelos ministros Osmar Terra ((Cidadania) e Tacísio Freitas (Infraestrutura), assim como por José Ricado Botelho (ANAC).

O encontro se diferencia de muitos outros já realizados por unir setores diversos e complementares: a estratégia do negócio turístico, o foco na infraestrutura, o suporte de transportes e a possibilidade de alavancar empreendimentos locais. Se sair do papel, o Piauí terá dado um passo enorme para, enfim, aparecer na foto principal do turismo no país.
 

Brasil recebe poucos turistas

Os problemas do Piauí começam com os problemas nacionais: o Brasil tem baixíssima participação como destino turístico. Para se ter uma ideia, o Rio de Janeiro é apenas a 94ª cidade mais visitada no mundo, segundo ranking de 2018. Na América Latina, perde para Cidade do México, Buenos Aires, Lima e Santiago. Ainda para comparação, os Estados Unidos têm 7 cidades no ranking das 100 mais visitadas.

O Brasil recebe por ano cerca de 6,5 milhões de turistas. A Espanha recebe dez vezes mais, apesar de ter um território 17 vezes menor que o Brasil. A França, recebe 14 vezes mais turistas que o Brasil. Tudo isso é reflexo de alguns problemas brasileiros (por exemplo, a violência) e da falta de um plano turístico estrategicamente elaborado.
 

Piauí ainda tem baixo fluxo

Se o dado é ruim para o Brasil, é péssimo para o Piauí: o estado não aparece nem entre os 15 principais destinos do país. Está no fim da fila. O estado ainda se ressente de suporte mínimo – a demora para se construir a adutora do litoral é só um exemplo. Mas os problemas vão além.

O Piauí tem uma estrutura aeroportuária razoável no litoral (aeroporto de Parnaíba) e em São Raimundo Nonato (aeroporto da Serra da Capivara). Mas não há vôos. Por que? Porque o turista quer chegar e contar com bons serviços, destinos bem cuidados e diversidade de opção. E isso só se faz com um bom planejamento.