Cidadeverde.com

‘Congresso faz sua parte’, diz Marco Aurélio sobre Previdência

Foto Divulgação / Câmara dos Deputados

Deputado Marcos Aurélio: a reforma da Previdência é só um elemento para o reaquecimento da economia brasileira 


O deputado Marco Aurélio Sampaio (MDB-PI) tem duas certezas. A primeira, a necessidade da reforma da Previdência. A segunda, que o Congresso vem fazendo sua parte ao discutir exaustivamente o tema e, entre idas e vindas, encaminha para a reta final de votação. A expectativa de Marco Aurélio é que a matéria seja aprovada na Câmara ainda antes do recesso e julho.

O deputado piauiense faz uma certa ressalva ao movimento dos governadores, que esta semana resultou na cobrança da inclusão de estados e municípios no texto da reforma. Marco Aurélio entende a reivindicação, mas acredita que uma parte dos governadores se colocou à margem do debate e da busca de entendimento. “Uns estão chegando só agora. Na Câmara, nós levamos a cabo esse debate desde o começo”, afirma.

Marco Aurélio entende que há a compreensão da urgência da reforma, ainda que possa haver divergência sobre alguns tópicos da proposta. “As condições sociodemográficas mudaram e os ajustes são naturais e necessários”. O deputado também entende como fundamental a discussão sobre aspectos como BPC e aposentadoria rural. “A reforma precisa ter um olhar social e focar objetivamente nas novas regras, atacando os privilégios”.
 

Brasil precisa de mais que a reforma

Em seu primeiro mandato como deputado federal, Marco Aurélio Sampaio diz que está “suando muito” para se fazer presente nas principais discussões do Congresso. “O Brasil tem muitas pendências e o Parlamento tem papel fundamental nesse momento”, diz. Para ele, a reforma da Previdência é só um ponto de uma extensa e complexa agenda, que incluiu ainda a reforma tributária e uma redefinição do pacto federativo.

“Somos um país de extremos, de muitas desigualdades”. Ele dá como exemplo dessas desigualdades a partilha do bolo tributário nacional, que reforça o desequilíbrio entre os entre federados. “A União fica com quase 60% de todo o bolo”, lembra, ressaltando que a reforma tributária deve estar atenta a isso como passo primeiro de um rearranjo da Federação.
 

A hora do desenvolvimento

Outro ponto destacado pelo deputado Marco Aurélio é o reaquecimento da economia. Ele entende que as reformas da Previdência e fiscal são parte desse esforço que deve resgatar o emprego, ainda muito elevado. “Além disso, há um conjunto de medidas que devem fazer parte das ações complementares”, diz. Ele cita a desburocratização como um desses elementos.

Segundo o deputado, o conjunto de mudanças vai dar uma indicação para o investidor que o ambiente de negócio é positivo. “Isso vai atrair investimentos, promover novos negócios e gerar emprego”, afirma.