Cidadeverde.com

MDB recebe Dr. Pessoa mas também flerta com Silvio Mendes

O MDB prepara uma festa para, em agosto, receber a filiação de novos membros do partido, com destaque para o ex-deputado Dr. Pessoa. Mas a chegada de Dr. Pessoa à sigla não inclui um compromisso cabal de que será candidato à prefeitura de Teresina, já que o partido tem alguns nomes postos – em especial o vereador Luís Lobão e o deputado Henrique Pires. Além disso, algumas lideranças emedebistas de destaque não descartam a possibilidade de outro nome: o ex-prefeito Sílvio Mendes. O sonho é maior: ver uma chapa unindo Dr. Pessoa e Silvio Mendes.

Depois de participar da reunião da Executiva estadual do partido, ontem, Dr. Pessoa saiu dizendo que já é do MDB. O presidente estadual da sigla, senador Marcelo Castro, e o presidente muncipal, deputado Themístocles Filho, fizeram discurso no mesmo tom. Os três reafirmaram que a filiação não está vinculada a uma candidatura pronta e acabada. Dr. Pessoa pode ser o candidato se as condições assim permitirem.

Tais condições incluem a própria ressonância popular do nome do ex-deputado, que a maioria avalia como muito boa. Mesmo assim não deixaM DE contemplaR outras alternativas. É aí onde aparece o nome de Sílvio Mendes. Dentro do partido avalia-se que a primeira opção de Sílvio é mesmo o PSDB. Mas a grande maioria também avalia como muito pequena a possibilidade do grupo de Firmino Filho dar essa chance ao ex-prefeito.

O tema Silvio Mendes não foi analisado oficialmente pelo MDB, mas é assunto corrente nas conversas informais sobre as eleições municipais do ano que vem. E o partido quer deixar uma porta aberta para o caso de Sílvio precisar de um novo destino político.
 

Proximidade com Marcelo Castro

A opção Sílvio Mendes é uma alternativa que é considerada distante. Mas não é descartada dentro do MDB. Ao contrário. Um dos trunfos para uma possível aproximação é a boa relação com os cardeais do partido, como o deputado Themístocles Filho e especialmente o senador Marcelo Castro.

Silvio chegou a ser escolhido o vice de Marcelo na frustrada candidatura ao governo do Estado, em 2014. A amizade permaneceu. E agora pode render frutos: caso o ex-prefeito queira um destino para disputar a eleição de 2020, Themístocles abre uma janela. E Marcelo escancara a porta do partido.