Cidadeverde.com

General Fioravante é confirmado na presidência da Codevasf

Foto Divulgação / Comando militar do Nordeste

General Pedro Fioravante: atual comante do programa de carro pipas assume predidência Codevasf


A Companhia de Desenvolvimento das Bacias do São Francisco e Parnaíba (Codevasf) aprovou o nome do general de brigada Pedro Antonio Fioravante Silvestre Neto para a presidência do órgão. Fioravante havia sido indicado diretamente pelo Palácio do Planalto, mas precisava cumprir o trâmite interno determinado pela Lei das Estatais. Ontem, o general – que já havia sido avaliado pela comissão interna de elegebilidade – teve seu nome aprovado pelo Conselho Diretor da companhia.

A indicação de Fioravante foi antecipada aqui pelo Blog, na semana passada. A escolha, que atende aos interesses diretos do núcleo militar do Planalto, agora se confirma. A partir do encerramento dos trâmites internos, o general terá 30 dias para tomar posse. Ontem mesmo ele estava em Brasília para definir a formalização da investidura no cargo.

Vale lembrar, a Codevasf era um dos mais disputados órgãos federais com atuação no Nordeste. Vários grupos políticos reivindicavam a indicação, em especial o núcleo mais ligado ao estado de Pernambuco. O senador piauiense Ciro Nogueira (PP) também desejava a indicação. Mas prevaleceu o “viés técnico” defendido pelo Planalto.

Fioravante atua há vários anos na região, desde que assumiu a condição de assessor direto do Comando Militar do Nordeste. Desde abril do ano passado ele respondia pelo programa de carros pipas, onde comandava 900 homens com atuação em 500 cidades nordestinas, cobrindo uma população de 1,7 milhão.
 

Agora, a definição nos estados

Após tomar posse, uma das primeiras preocupações do general Pedro Fioravante será a definição dos novos diretores da Codevasf nos estados. Há uma certa expectativa no mundo parlamentar, diante do argumento técnico em confronto com o político. Os grupos políticos querem mais espaços no governo federal, bastante limitado desde a posse de Jair Bolsonaro.

No caso do Piauí, a superintendência é atualmente uma indicação do senador Ciro Nogueira. Ele chegou a dizer que deseja manter a indicação, com o nome de Inaldo Guerra. Resta saber se o general Pedro Fioravante vai seguir as regras de antes.