Cidadeverde.com

Brasileiros são os mais ciumentos do mundo em viagens

Viajar é sinônimo de conhecer pessoas e, quem sabe, de viver uma história de amor. Em termos de flerte, os brasileiros têm perfil único. Em 2016, o Brasil liderou a lista de países onde as pessoas mais tiveram romances de férias, com 45% da participação mundial, conforme um estudo do site Momondo.
Além de apaixonados, os brasileiros são ciumentos. Quando comprometidos, a maioria (63%) prefere viajar com o par. O ciúme pode ser fator determinante. Para 47% dos viajantes brasileiros, haverá complicações se o parceiro decidir viajar sozinho. Até os mais liberais têm ressalvas — 52% deles ficariam chateados se a pessoa amada incluísse pessoas do sexo oposto nos planos de viagem, mesmo que fossem colegas de trabalho ou amigos.
 
A pesquisa não diz se homens ou mulheres têm mais ciúme. A professora do departamento de sociologia da Universidade de Brasília Lourdes Maria Bandeira aponta possibilidades. Para ela, esse sentimento é parte da cultura do país. “Está presente em uma sociedade na qual a mulher sempre foi subjugada ao homem”. Para a estudiosa, o machismo é um dos traços culturais mais marcantes dos homens latino-americanos. “As relações têm pouco afeto e muito controle: do corpo, do movimento e das pessoas com quem a mulher se relaciona”, pontua.

Cultivar a confiança

A saída para o conflito é o diálogo, defende a psicóloga Claudia Melo. Ter dificuldade em aceitar que o parceiro viaje sozinho não é sinal de que o relacionamento vai mal. “O casal precisa estabelecer uma boa comunicação para ajustar os pontos de crise e fazer acordos”, sugere. Também é importante procurar a real necessidade de querer estar só ou distante do parceiro. “É importante respeitar as suas vontades e a do parceiro para chegar mais próximo da vontade de ambos. Assim, a relação não se torna castradora nem manipuladora”, orienta.

Para a advogada Laís dos Santos, 23 anos, a única regra para que o namorado viaje com os amigos é que os dois se comuniquem. “É importante dar notícias”, pontua. Juntos há sete anos, os dois tentam se manter confiantes. “O ciúme é a maior causa das brigas. Há quem não viaje junto por isso, mas também há casos de quem não se separa porque não tem vontade”, opina. O namorado de Laís passou um fim de semana em um evento no Rio de Janeiro no início deste ano. Segundo ela, não houve atritos. “Acho que ele teria sido tão ou mais tranquilo do que eu, se fosse comigo. Estamos juntos há muito tempo. Confio nele”.

Quero ser seu par
Os dados foram retirados da edição de 2017 da pesquisa International Travel Survey, realizada pelo site Momondo. O estudo analisa os hábitos de viagem de homens e mulheres, entre 18 e 65 anos, no Brasil e em mais 22 países, incluindo Áustria, Austrália, Bélgica, Canadá, China, Alemanha, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Itália, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Suécia, Turquia, Reino Unido e Estados Unidos.

 

Fonte: Correio Braziliense