Cidadeverde.com

Estradas da caatinga: Oeiras, uma das cidades mais importantes da história do Brasil

Centro Histórico bem preservado em Oeiras. Igreja mais antiga do Piauí ao fundo

No Piauí, todos sabem que o Grito do Ipiranga de Dom Pedro não representou a Independência de todo o Brasil. Naquele momento, o tenente Fidié, um experiente militar português guardava, a partir de Oeiras, esse território para se manter colônia de Portugal. A história se passa em outras cidades do província, Parnaíba e Campo Maior, mas se desfecha com a Independência do Piauí, assinada na primeira capital do estado.

Os prédios, ruas e casas do Centro Histórico proporcionam uma experiência que remete aos séculos XVIII, XIX e começo do século XX. Depois do tombamento pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em 2012, Oeiras conseguiu melhorar o processo de restauração de sua história. A estrutura externa das igrejas está em excelentes condições e na visita à Matriz de Nossa Senhora da Vitória, a mais antiga do Piauí, também percebe-se ótima conservação. Infelizmente não foi possível entrar nas demais porque uma só abre em datas especiais e a outra só fica aberta até 12 horas.

Museu de Arte Sacra foi entregue recentemente e apresenta várias peças cheias de significado e história

Além das igrejas, os principais sobrados da cidade estão recuperados e abertos ao público. Um abriga o excelente Museu de Arte Sacra (MAS), outro é o prédio da Prefeitura e tem uma bela exposição no segundo pavimento, e o Major Selemérico impõe sua história de primeira casa construída para servir de casa de governador no estado com salas que relembram esse passado político, isso sem esquecer a religiosidade e outros traços da cultura oeirense. Existem muitos outros locais particulares muito bem preservados.

Casa da pólvora está bem preservada. Prédio bem diferenciado.

Outra evolução perceptível em Oeiras é a diversificação e melhoria dos serviços. No setor hoteleiro o hotel do Sesc oferece qualidade com preço justo. Sócios do serviço, por exemplo, pagam menos de R$100,00 em uma diária. Bons restaurantes também estão disponíveis. Além do próprio hotel do Sesc, experimentei o Varanda da Vila e a Pizzaria Coqueiro Verde e aprovei os dois. Esta última também possui um bom hotel e uma churrascaria. Um outro local importante, mas que não pude ir é o Café Oeiras. Local boêmio histórico da cidade ele está na ativa e sempre com boa música.

Filé depeixe ao molho de maracujá no restaurante Varanda da Vila.

Mas em uma cidade histórica cheia de significados, ter contato com esses é essencial para a melhoria da visita. Para isso, surgiu a melhor novidade que é a Associação dos Condutores de Turismo de Oeiras (ACONTUO). Ela permite que qualquer pessoa que vá a Oeiras se organize para contratar um guia que vai explicar grande parte dos aspectos culturais e arquitetônicos da cidade. Infelizmente, nem todos os guias se filiaram à Associação, mas espera-se que com o tempo ela passe a ser a referência nessa área na Velha Capital. A sede da Acontuo é na Praça das Vitórias no Solar das 12 Janelas. Pode-se contactar também pelo Facebook e pelos telefones: (89) 994059955, (89) 988071910 e (86)999536318.

No próximo post apresentarei o Cariri Cearense muito além de Padre Cícero.

Estradas da Caatinga: Floriano, uma cidade moderna, religiosa e à beira do Parnaíba

Especial: Encantos do sertão nordestino. Pegando as estradas da caatinga.

Estradas da caatinga: Arredores de Floriano. A 2ª igreja mais antiga do Piauí