Cidadeverde.com

Estradas da caatinga: Crato, Barbalha e Missão Velha

Vista da Floresta Petrificada com seus fósseis e morros

Na última postagem, a viagem chegou ao Cariri Cearense. Das 6 cidades que abrigam os principais pontos turísticos, apresentei Santana do Cariri e Nova Olinda. O desafio que me propus foi deixar para abordar sobre Padre Cícero apenas no final. Por isso, hoje, o destaque ainda será para 3 cidades que ficam no entorno de Juazeiro do Norte.

A primeira delas é Missão Velha. O nome não é coincidência, ela é a mais antiga da região. Faz referência à missão que os padres jesuítas instalaram na área para catequizar os índios Kariri. Um dos atrativos do local, inclusive, é o resquício de uma construção do período. Depois de uma trilha de cerca de 2 km é possível conhecer o local. Destaque para o muro de pedra com peças ainda bem preservadas. A trilha fica no Geossítio Cachoeira da Missão Velha e é bem fácil. Apesar da distância, ela é toda plana. Ao seu lado está uma cachoeira e um pequeno riacho que permite banho e pesca.

Ruínas de antiga missão religiosa que catequizou os índios Kariri

Ainda em Missão Velha, existe o Geossítio Floresta Petrificada. Nele há grande presença de fósseis de árvores, parecidas com as da Floresta Fóssil em Teresina. Estudos apontaram que eram coníferas de grande porte, espécie que hoje é encontrada apenas em lugares frios. O conteúdo fossilizado que está aberto ao público não tem grande validade científica. O que tem já foi retirado para estudo. Por isso, é possível mexer e até brincar com os fósseis que estão no local. Destaque também para as belas paisagens. Como a floresta fica em área particular, é fundamental contratar um guia credenciado para ter acesso.

Idosos pescando e ao fundo a cachoeira que fica à beira da estrada

Entre Missão Velha e Juazeiro do Norte está Barbalha. Esta possui o centro histórico melhor preservado da região e alguns dos pontos da Chapada do Araripe mais interessantes. O passeio é pelas ruas da cidade, conhecendo a história de cada prédio, das igrejas e a importância da festa de Santo Antônio. Esta é chamada de Pau da Bandeira. Tentando simplificar algo que é repleto de significado: no dia do padroeiro é cortado um tronco que foi doado por um fiel. Esse é carregado por vários homens de uma localidade rural até a Matriz de Santo Antônio. Semelhante à festa de Campo Maior, a 85 km de Teresina, as moças vão tocando no pau da bandeira para conseguir um casamento. O percurso tem um caráter bem festivo. Na tradição, muitos consomem bebidas alcoólicas e bandas tradicionais acompanham o cortejo. O ritual é considerado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) patrimônio imaterial do Brasil.

Uma das poucas casas com azulejo importado em Barbalha

Outra instituição que trabalha para preservar a cultura de Barbalha é a Escola de Saberes, que é vinculada à Universidade Regional do Cariri (URCA). Nela são debatidos, estudados e trocados conhecimentos acerca da cultura popular com a finalidade de propagá-los para a comunidade. A escola fica no antigo prédio de Câmara e Cadeia da cidade.

Também em Barbalha está o Geossítio Riacho do Meio onde se encontram algumas nascentes. Além de lavar a alma bebendo um pouco de água límpida direto da natureza, é uma oportunidade de presenciar o Soldadinho do Araripe. Este é um pássaro em extinção que existe na região e fica em áreas de nascente, um dos símbolos regionais. Infelizmente não pude vê-lo, mas segundo meu guia não é tão difícil. É possível vê-lo nos parques aquáticos já que o soldadinho se integra com as pessoas nesses locais. Em Barbalha estão os 2 principais da região: o Arajara Park e o Caldas.

Trilha dentro do Geossítio Riacho do Meio

Para continuar no contato com a natureza, a cidade do Crato reserva mais passeios. No topo da Chapada do Araripe está uma Floresta Nacional. Uma das trilhas mais percorridas, tanto a pé, quanto de bicicleta, passa por dentro da área de proteção. Além do contato com a floresta, existem diversos mirantes que permitem uma visão panorâmica do Crato e dos prédios mais altos de Juazeiro do Norte. Na região cratense ainda estão o Geossítio Riacho do Fundão e Batateiras. Nesses locais é possível conhecer ruínas de engenhos, resquícios de uma hidrelétrica e outras nascentes e riachos.

Resquícios do sistema alemão de uma hidroelétrica no Geossítio Batateiras

Além de natureza, o Crato também é uma das cidades mais antigas da região. Lá existem prédios históricos dos séculos XVIII, XIX e início do século XX recheados de histórias. Também estão a sede administrativa do Geopark Araripe e da Universidade Regional do Cariri. O mais recente dos atrativos é a estátua de Nossa Senhora de Fátima, que mede 45 metros e se destaca em qualquer panorama da cidade. Foi finalizada recentemente a sua urbanização e está quase concluída uma réplica em miniatura da igreja de Fátima em Portugal.

Imagem de Nossa Senhora de Fátima de 45 metros de altura

Esses são alguns dos atrativos dessas cidades, alguns nem tive tempo de conhecer, ficarão para uma próxima ida. Mas acho que já deu para demonstrar o quão interessante é a região. No próximo texto, o destaque será para Juazeiro do Norte, a maior cidade do Cariri.

 

Estradas da caatinga: Oeiras, uma das cidades mais importantes da história do Brasil

Estradas da Caatinga: Floriano, uma cidade moderna, religiosa e à beira do Parnaíba

Especial: Encantos do sertão nordestino. Pegando as estradas da caatinga.

Estradas da caatinga: Arredores de Floriano. A 2ª igreja mais antiga do Piauí