Cidadeverde.com

Onde A Poesia Acontece?

  • 12346908_1092632124088973_1234661161_n.jpg Foto: Luzia Maninha
  • 12336357_1092632087422310_1352483596_n.jpg Foto: Luzia Maninha
  • 12325461_1092632097422309_682792718_n.jpg Foto: Luzia Maninha
  • 12319430_1092632040755648_1973244834_n.jpg Foto: Luzia Maninha
  • 12319252_1092632177422301_102564129_n.jpg Foto: Luzia Maninha
  • 12319239_1092632084088977_893755749_n.jpg Foto: Luzia Maninha
  • 12312486_1092632110755641_358043147_n.jpg Foto: Luzia Maninha
  • 12312319_1092632060755646_263529531_n.jpg Foto: Luzia Maninha
  • 12309203_1092632057422313_1487883434_n.jpg Foto: Luzia Maninha
  • 12309049_1092632054088980_1046564647_n.jpg Foto: Luzia Maninha
  • 12308876_1092632140755638_852128751_n.jpg Foto: Luzia Maninha
  • 12278196_1092632150755637_123562773_n.jpg Foto: Luzia Maninha
  • 12325067_1092632130755639_45891785_n.jpg Foto: Luzia Maninha
  • 12319504_1092632127422306_96258589_n.jpg Foto: Luzia Maninha
“escrever o que não acontece é tarefa da poesia” Manoel de Barros
 
Onde a poesia acontece? Qual o melhor lugar para se falar de poesia?
 
Inicio com essas perguntas simplistas para dizer que tod@s têm necessidade de poesia e de que, ela faz bem para a nossa saúde mental. A poesia nos ensina a sonhar para dentro e nos lembra, de que não podemos perder a dimensão utópica da existência. 
 
No último final de semana, alguns escritores resolveram encarar a estrada e o desconforto das empresas de ônibus Irmãos Coragem e Bonitão, e foram até a cidade de Luzilândia para bater papo sobre diversos assuntos do campo literário. Eu também resolvi, encarei as ironias da estrada “coragem” e “bonitão” e aceitei o convite do professor e poeta Ivanildo Di Deus e do poetamigo Rubervam Du Nascimento e fui participar do 2º FLIÁGUAS – Festival Literário das Águas. Evento que aconteceu sem nenhum financiamento institucional e foi realizado pela iniciativa corajosa do Ivanildo Di Deus, com o apoio do SINTE-PI.
 
Especificamente no sábado à tarde, 28/11, participei de uma das mesas do evento, juntamente com os escritores Rubervam Du Nascimento, Valdecirio Teles Veras e a Dalila Teles Veras. Alguns temas, tais como: “qual o lugar da poesia” e a relação “poesia e cidadania”, nortearam o debate. Ficamos por quase 3 horas desenvolvendo essas questões e outras mais. Na ocasião, o poeta Rubervam lançou o seu livro de poemas ESPÓLIO e eu lancei o meu objeto poético CAPSULAR.
 
Porém, o que mais me chamou a atenção foi o público de cerca 40 jovens que assistiu e participou ativamente do bate-papo. Um público atento, curioso e que se instigou com nossas falas. Vários desses jovens foram pra casa levando nossos trabalhos.
 
Voltei de lá com o corpo vibrando, por ter tido mais uma vez a confirmação de que não existe um lugar “especial” para a poesia acontecer e que o seu lugar, é onde existe sensibilidade e afeto.