Cidadeverde.com

Ecos de "Na Pele Da Palavra"

  • 20160730_1247191.jpg vários
  • 20160730_233806.jpg vários
  • 20160730_225330.jpg vários
  • 20160730_221459.jpg vários
  • 20160730_220507.jpg vários
  • 20160730_205601.jpg vários
  • 20160730_205003.jpg vários
  • 20160730_204235.jpg vários
  • 20160730_204159.jpg vários
  • 20160730_204042.jpg vários
  • IMG-20160731-WA0040.jpg vários
  • IMG-20160731-WA0018.jpg vários
  • IMG-20160731-WA0013.jpg vários
  • IMG-20160731-WA0004.jpg vários
  • IMG-20160731-WA0000.jpg vários
  • 20160730_102437.jpg vários
  • 20160730_124719.jpg vários

Demetrios Galvão

 

No último sábado, dia 30 de julho, aconteceu na cidade de Caxias/MA um evento que ainda ecoa em quem esteve presente. Principalmente pela audácia e coragem do poeta Carvalho Junior, que sem muitos recursos e com a ajuda de amig@s, conseguiu convencer escritores e editores a participar do “I Encontro na Pele da Palavra” e do “XI Sarau na Pele da Palavra”.

Esse “evento duplo” foi composto por duas rodas de conversa que aconteceram no auditório do SESC. Uma que aconteceu pela manhã intitulada “O mapa diversificado da literatura contemporânea no Brasil” e outra, pela tarde, “As edições independentes e a literatura contemporânea: livros, zines, revistas, sites e outras invenções”. Os debates foram momentos em que compartilhamos saberes e trocamos experiências. Pudemos aprofundar principalmente as questões do universo independente, no que diz respeito à produção e circulação dos nossos trabalhos. Problematizamos também a poesia dos muitos brasis e abrimos horizontalmente o olhar para com a produção contemporânea.

 

Abertura do Encontro com o poeta e organizador do evento, Carvalho Junior

 

Na parte da noite aconteceu um grande sarau no coração da cidade, na praça Vespasiano Ramos. Um cenário muito bonito, principalmente por que Caxias é uma cidade história e mantêm grande parte do seu patrimônio material, com seus casarios e igrejas antigas. Os poetas se espalharam pela praça e bares recitando seus poemas. Houve também uma feira com livros, revistas e impressos diversos. Momento em que pudemos ter uma visão geral da produção que se fazia ali presente.

O evento nasceu da vontade e da militância pela literatura. Não só dos seus organizadores, mas também, daqueles que saíram de suas cidades por conta própria e foram participar de um evento longe dos grandes centros, iluminados por vaidades faiscantes. O grande resultado do Encontro foi o fortalecimento dos contatos e as trocas sensíveis, humanas e literárias. Mas, principalmente, da conexão Piauí – Maranhão. Estados vizinhos, que por vezes, parecem distantes. Mas além de piauienses e maranhenses, também estiveram presentes escritores da cidade de Marabá/PA e do Rio de Janeiro/RJ.

Em uma das rodas de conversa o escritor e editor Bruno Azevedo disse que para ele, morador de São Luís, Caxias está simbolicamente mais longe que o Rio de Janeiro ou São Paulo e que por isso, participar daquele evento era importante. Subvertendo a imaginária água do rio que escorre cegamente para o mesmo caminho. O evento sonorizou outros sotaques da poesia contemporânea brasileira. Assim, por esses e outros motivos, o Encontro e o Sarau “Na Pele da Palavra” devem ser celebrados. Pela força humana que realiza a literatura e que, de volta, potencializa a vida.

Estiveram presentes e participando do evento, os escritores, editores e produtores culturais: João Henrique Vieira, Demetrios Galvão, Airton Sousa, Bruno Azevedo, Wellington Soares, Lucas Rolim, Luisa Cantanhêde, Antonio Aílton, Joseane Maia, Adriano Lobão, Paulo Rodrigues, Luiz Otávio Oliani, Sebastião Ribero, Isaac Sousa, Carlos Denilson, Bioque Mesito, Francisca Cerqueira, Ana Neris, Kilito Trindade, Dudu Galisa, dentre tantos outros.

 

 

Alguns Depoimentos e Impressões:

 

Todos os diálogos e ligações literárias possibilitadas pela realização do I Encontro de Poesia & XI Sarau Na Pele da Palavra me fez percorrer na alma um sentimento de intenso júbilo. O êxito do evento se deve aos poetas, músicos, artistas, patrocinadores, parceiros, organizadores e amigos em geral que, vencendo distâncias geográficas, permitiram-se participar e se envolver numa salutar e profícua convivência de debates com a poesia em movimento. Uma celebração da amizade e amor às letras em um histórico 30 de julho. Orgulho imenso em Caxias ter sido anfitriã de um acontecimento tão plural e frutífero em aprendizados. Que as irmandades e conexões estabelecidas confluam para a arquitetura de novos encontros dessa natureza. O Na Pele da Palavra é uma família e, em nome do movimento, registro a nossa gratidão a todos que contribuíram para essa festa da literatura em terras maranhenses, reunindo poetas de um mapa diversificado da produção no Brasil.

Carvalho Junior, Caxias/MA. Poeta e organizador do sarau Na Pele da Palavra. Autor do livro “A Dança dos Dísticos”.

 

“O carvalho Junior teve a beleza e a audácia de proporcionar um encontro como esse e um sarau lindamente escandaloso, criando conexões. Realmente um encontro, uma boa e ampliada roda de conversa, na qual a poesia contemporânea se mostrou nos poemas, na oralidade e na atitude. Espírito do seu tempo, mesmo. O poeta, o editor, as alegrias e agruras de se fazer isso, esse campo do sensível, como diz o poeta Demetrios Galvão. O que vimos durante o sábado foi um lindo encontro da poesia contemporânea, com escritores, editores e professores, em um belo cenário que é a cidade de Caxias”.

João Henrique, Teresina/PI. Poeta e articulador cultural do Roda de Poesia – tensão, tesão e criação.

 

“O nosso recente Encontro sobre poesia contemporânea em Caxias-MA teve, sem dúvida, dois pontos que não podem deixar de ser destacados. O primeiro: foi um encontro promovido e realizado por poetas, nada de instituição, nada de sistema, ele foi feito por nós, com entusiasmo, com nossa língua, reflexão e atitude. O segundo: seu centro foi a exaltação da liberdade. Não teve intenção de ditar caminhos ou criar "movimentos", mas de exaltar o mapa de sua diversidade e buscar de caminhos alternativos que o leve à sua razão última, o leitor. Enfim, nosso encontro foi inquietação, foi semente”. 

Antonio Aílton, São Luís/MA. Poeta e pesquisador. Autor de "Os Dias Perambulados" e "Outros Tortos Girassóis e Compulsão Agridoce".

 

café da manhã com os escritores: Bruno Azevedo, Luiz O. Oliani, Francisca Cerqueira, Sebastião Ribeiro,

Bioque Mesito, Antonio Aílton e Carvalho Junior

 

“Quando o professor e poeta caxiense Carvalho Junior me convidou para participar do evento, no qual seria homenageado, não titubeei. Sabia que teria uma chance única de travar contato com intelectuais de outros Estados. Já sabia do sucesso que seria a edição do “Na Pele da Palavra”. E o pouco tempo que passei entre Teresina, Piauí, e Caxias, no Maranhão, foi o bastante para mostrar o quanto temos de aprender com a diversidade; o quanto não podemos fechar nossos olhos para os guetos onde vivemos; o quanto temos de trabalhar em conjunto para fomentar os laços culturais que unem a todos através da mesma língua. Saí de Caxias, retornei a Teresina rumo ao Rio de Janeiro onde moro, com a certeza de que a boa literatura e a cultura devem ser divulgadas além de territórios individuais em que surgem ou espaços já predefinidos como melhores até porque estes não existem. Que o “I Encontro de Poesia” e a “11ª Edição do Sarau na Pele da Palavra” tenham sido este estopim a promoção de uma reflexão ímpar acerca do papel que cada artista possui na geografia que habita.”

Luiz Otávio Oliani, Rio de Janeiro / RJ. Escritor e autor da série de livros “Entre-textos”.

 

“Um evento como o Na Pele da Palavra permite que movimentos fisicamente próximos, mas simbolicamente distantes possam se encontrar. Maranhão e Piauí tem longas tradições literárias, mas pouco diálogo. Que haja mais encontros como esse”.

Bruno Azevedo, São Luís/MA. Escritor, editor do selo Pitomba e autor do livro "Ostreiros".

 

“Foi muito interessante e instigante participar de um evento que contou com a presença, tanto no palco quanto na plateia, de escritores, editores e leitores de diversas localidades, tais como Teresina, Timon, São Luís, Marabá e Rio de Janeiro. Diversos encontros e reencontros foram construídos ao longo do evento. Para mim, é sempre gratificante ver pessoas de minha terra, Piauí, Teresina, divulgando suas produções mundo afora, mas é igualmente gratificante conhecer as produções artísticas empreendidas em outros espaços, dialogar, aprender, prestigiar e trocar experiências. Quanto ao sarau, o eco de diversos poemas e sonoridades daquela noite ainda reverbera na minha cabeça. Agradeço bastante ao Carvalho Junior e demais organizadores e idealizadores do evento pelo convite e pela homenagem recebida. Volto de Caxias com a alma repleta de boas sensações que me fazem continuar entendendo que a Arte, além de instigar a indagação, o questionamento, o deslumbre e a sensibilidade através da experiência estética, é também um inusitado engenho capaz de aproximar e irmanar pessoas”.       

Adriano Lobão Aragão, Teresina/PI. Escritor, autor de "Os Intrépidos Andarilhos e Outras Margens" (romance) e "As Cinzas as Palavras" (poemas), dentre outros.     

 

encontro dos poetas no dar do Cantarele + sons da banda Fábula