Cidadeverde.com

Tiago D. Oliveira - Poemas

Tiago D. Oliveira, professor e pesquisador, graduado em letras pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Publicou contos e poesias em Portugal, onde viveu e estudou na Universidade Nova de Lisboa. Em 2014 teve seu primeiro livro editado de poesia no Brasil,Distraído. Atualmente desenvolve pesquisas sobre a ética dos afetos em formas breves na literatura portuguesa, projeto que é ligado à Universidade Federal da Bahia e ao CNPQ (UFBA). Prepara-se para editar mais um livro de poesias – O criador de santos.

 

 

Compreender o mundo ou estudar os gritos

 
deixemos que o sebastião salve a nossa fé,
com a sua morada no tempo,
na devida hora, será imbatível, deixemos
que o seu corpo perdido
seja encontrado aqui,
em alguma razão de mudança.
toda a espera seja finita, deixemos.
logo na primeira urina do dia
 
 
 
Capítulo um
 
quando as tristezas unem os homens
tornando-se o fio no diálogo do dia
a conduzir a um mínimo de vida
(a respiração ante se conforta)
rompe-se a membrana que antecede
a casca parte-se a casca
mais um nascimento
na conversa do vento com o sopro
nosso de cada dia de cada dente
perdido de cada drenagem linfática
dar-te-ão muitos likes
a tarde e o movimento dos olhos / na tela
nada mais é preciso: há uma janela
lentamente
um rio
o movimento é o destino da dor – como
uma mensagem de amor
não há salvação
 
é preciso deixar-se ir
 
 
 
Primeiro passeio de bicicleta
 
O homem que pedala que ped’alma
com o passado a tiracolo,
ao ar vivaz abre as narinas:
tem o por vir na pedaleira.
Alexandre O’neill
 
 
nos pedais o corpo
alto e baixo nos pedais
os dias sob a nudez
do metal lírico cortando
a potência que passou
a velocidade que atrai também
passou o cheiro do mato verde
sobre o guidão e o refluxo
pedalo perto do chão
flutuo com as marcas
do veludo ao Veloso ao veludo
a pele são os dias
tudo cabe tudo pode
nos pedais o corpo
alto e baixo nos pedais