Cidadeverde.com

Jorge Salomão - Poemas

 

Baiano de Jequié (Ba), Salomão – que é irmão do Wally Salomão -  foi um dos integrantes do movimento Tropicália nos anos 60 e trabalhou ao lado de Torquato Neto.

Jorge Salomão publicou os livros “Mosaical” (1996), “O olho do tempo” (1997), “Campo da Amerika” (1998), “Sonoro” (1999), “Conversa de Mosquito” e “A estrada do pensamento”.

Em 2007, laçou o CD "Cru Tecnológico", no qual recita 21 poemas de sua autoria. Têm músicas foram gravadas por Marina Lima, Adriana Calcanhoto, Cassia Eller, Barão Vermelho, Zizi Possi e Zé Ricardo.

Salomão é artista de mil antenas e autêntica representação de misturas culturais. 

 

 

SECO

 

pareço um leito enxuto de rio

sem chuva , nem vegetação

seco

igual a carne seca

fruta seca

um som seco

sem babados,

direto,

despojado,

informação seca

como um canto sem acompanhamento

com a goela seca

seco

batendo na terra

buscando algo que não seja seco

 

 

MINHA SENSIBILIDADE

 

não é lata de lixo não

nem espremedor de laranjas

a triturar frutas sem parar

nem alvo para testes de pontaria

nem rede para se espreguiçar

nem milho de pipoca prestes a estourar

nem ar condicionado

nem nada do que se possa esperar

nem ventilador a atirar o caos para o ar

nem mensagens não puderam numa garrafa entrar

nem barco sem condições atirado a altas ondas do mar

minha sensibilidade é simples

não gosta de barulho

mas gosta de dançar

é simples

e volta e meia se perde no fio invisivel

que passa por entre as rochas

e fica a indagar o seu caminhar

minha sensibilidade

é uma interrogação

neste deserto de absurdas afirmações

não é nada

do que se possa esperar

é simples

e quer porque quer aumentar...

 

TODAS  AS  MANHÃS

 

todas as manhãs

canto pra subir

no passo a passo

nos sonhos

no porvir

todas as manhãs

alimento esperanças

quem sabe alguma

alguma coisa seja

todas as manhãs

grito por viver

clamo ao sol por mais justiça

abro o leque da solidariedade

todas as manhãs

sou mais eu

sendo mais justo

em todas as medidas

todas as manhãs

danço minhas manhas

abrindo as manhãs