Cidadeverde.com

A PEC 241 – Uma Pequena Reflexão Sobre a Votação

 

A PEC 241 – Uma Pequena Reflexão Sobre a Votação

Dante Galvão*

 

Foi inevitável não escrever. Até nem queria, mas não consegui. Depois que li o livro Cidadania no Brasil: o longo caminho, de José Murilo de Carvalho, passei a observar as casas parlamentares (câmaras, assembleia, câmara e senado) com mais interesse. Eu ainda penso que sigla partidária deva guardar coerência com as palavras das letras iniciais, assim como os deputados (e demais membros) com os programas partidários, senão, do contrário, por que seria necessário partidos políticos?

Depois das últimas importantes votações – impeachment, PLS nº 131/15 privatização do pré-sal e PEC 241 – e das recentes eleições municipais, achei que deveria dar minha humilde contribuição com algumas análises sobre, nesse momento, a câmara federal dos deputados, a respeito da votação da PEC:

 

1) O PP e PMDB: com a maior quantidade de membros investigados na Operação Lava Jato, respectivamente 30 e 24 (a título de curiosidade o PT tem “apenas” 12) votaram integralmente pela aprovação da PEC, 106 votos totais. Hum, me sentindo pensativo!;

2) Os sociais-democráticos (PSDB e PSD): como de se esperar, arrasadoramente votaram sim. O destaque é para o contraditório Expedito Netto (PSD-RO) que contrariou seus cumplices.

3) Os Republicanos (Partido Republicano-PR, Partido Republicano Brasileiro-PRB, Partido Republicano Progressista-PRP e Partido Republicano da Ordem Social-PROS): de 68 deputadxs, 05 votaram contra a PEC. Se o parâmetro for o republicanismo de Donald Trump, não há o que se espantar com esse resultado.

4) Os trabalhistas (atentaram para o nome?) votaram massivamente pela PEC. Vou nomear porque pode haver alguém que não os conheça: Partido Trabalhista Brasileiro – PTB, Partido Trabalhista do Brasil – PTdoB, Partido Trabalhista Nacional – PTN. Apenas 02 de 29 votaram contra a PEC. Se esses são os trabalhistas, não quero nem saber quem são os empresarialistas!

5) DEM (antigo PFL): Óbvio que eles votaram a favor. O curioso é que uma deputada do TO votou contra os seus 26 colegas. Acho que é porque ela é professora.

6) PSB, pra quem não sabe é Partido SOCIALISTA Brasileiro. Imagina aí o Átila, o Heráclito e o Rodrigo Martins sendo chamados de socialistas! Cômico se não fosse trágico. Toda vez que vejo esse partido só penso no termo “tomar de assalto”. Votação: 10 contra x 22 a favor.

7) PDT e PPS: apoiaram veemente o impeachment, mas muitos dos seus deputados votaram contra essa pauta do governo: somando as duas bancadas, de um total de 21 deputados, 14 foram contrários à PEC. A curiosidade é que os deputados do PDT do N e NE foram os que mais votaram a favor (parece que estão muito tempo longe de casa!);

8) Solidariedade, assim como os humanistas (PHS): Apenas o Maj. Olímpio (SDD-SP) não foi solidário (mas solitário) com os demais 19 colegas e o Temer. Vejam só como as palavras se ressignificam: solidariedade e humanismo, quem diria!

9) Os cristãos (PSC) foram a favor da PEC. O que será que está se passando lá em cima, heim!?

10) Os “verdes” (PV e PEN–Part. Ecológico Nacional) foram absolutamente a favor (apenas 1 contra de 9 a favor). A natureza agradece!

11) PMB: Pra quem não conhece é o Partido da Mulher Brasileira. A curiosidade é que sua bancada aumentou, agora são dois HOMENS. Foi empate.

12) E o Silvio Costa (PTdoB/PE), heim?: O cara foi a personificação do “Não vai haver golpe” e vota a favor da PEC!? Caralho, sem comentário!

13) REDE: tá meio lá e meio cá, contraditório como de nascença: os 03 foram contrários. Pelo menos dessa vez, ufa!

14) No mais, o previsível: PT, PCdoB e PSOL votaram contra a PEC. Ah, mas tem curiosidade também, o Gabriel Guimarães (PT-MG) se absteve na votação. O que será que aconteceu?

 

Bem, a quem interessar possa, acho que é uma modesta contribuição para analisarmos a atuação parlamentar-partidária dos representantes da nossa democracia.

 

 

*Dante Galvão, graduado em História e Sociologia, com especialização em História Cultural. Professor de história da educação básica.