Cidadeverde.com

Jovens fogem de casa após deixar bilhete e Polícia investiga desaparecimento

Atualizada às 15h

Ligações anônimas estão auxiliando a Polícia Civil na investigação sobre os quatro adolescentes desaparecidos na madrugada do domingo (13) em José de Freitas, a 50 quilômetros de Teresina. A informação é do delegado Hildson Rodrigues, que deve pedir até o fim da tarde o reforço da Gerência de Polícia Metropolitana (GPM).

Segundo Hildson Rodrigues, a Polícia Civil trabalha com três informações diferentes que podem levar ao paradeiro de Deslane Rodrigues (14 anos), Maria Fernanda dos Santos Sousa (15 anos), Fernanda Silva Higino (14 anos) e Thalyson Vinicius (14 anos). 

"Por enquanto, não temos nenhuma novidade. Os informes anônimos estão chegando e a gente vai checando. Uma informação que chegou e que mais tarde não foi confirmada dizia que os adolescentes tinham embarcado em um determinado carro, mas nós averiguamos o rapaz citado e descobrimos que ele estava em outro local e na presença de muita gente", comentou o titular da Delegacia de José de Freitas.

De acordo com Hildson Rodrigues, se até o fim da tarde os agentes da Polícia Civil de José de Freitas não localizarem os quatro adolescentes, a investigação contará com o apoio da Gerência de Polícia Metropolitana, coordenada pelo delegado Luci Keiko.

Hildson Rodrigues afirma que nenhum dos desaparecidos manifestou problemas de comportamento antes da madrugada de domingo. "O clima na cidade é de comoção e surpresa. Os quatro são adolescentes de comportamento exemplar. Nenhum deles tem qualquer envolvimento com drogas. Dois deles são até coroinhas da paróquia de José de Freitas. Por tudo isso, causa espanto esse desaparecimento".

Atualizada às 12h31

O pai de um dos adolescentes que desapareceu em José de Freitas, na madrugada do último domingo(13), João Batista, informou em entrevista ao Jornal do Piauí, que supostos livros de magia negra foram encontrados entre os objetos pessoais de uma das colegas de sua filha. 

“Ela nunca tinha feito isso anos, tem 14 anos e era obediente, não dava trabalho. Mas, segundo relatos aqui, eles não estão na cidade, porque a gente encontrou livros diabólicos, coisa que não é desse mundo, com rituais (satânicos). A minha menina estava com dois livros e disse que era do colégio, mas na verdade eram livros de magia negra”, revelou o pai. 

João Batista chora no ar e apela para que a filha volte para casa. “Quero que ela volte para casa. Estamos preocupados, desesperados com a falta dela”, se emociona o pai.

Matéria original

Quatro adolescentes fugiram juntos na madrugada deste domingo (13) do município de José de Freitas, a 48 km de Teresina. De acordo com o delegado titular, Hildson Rodrigues, os jovens arquitetaram a fuga conjunta, marcaram um ponto de encontro e desde então estão desaparecidos.

Foto: JF Agora

"Eles estudam na mesma sala na escola e são muito unidos. Eles se organizaram, arquitetaram essa fuga conjunta e marcaram um ponto de encontro na saída da cidade de José de Freitas", explicou o delegado.

Os jovens desaparecidos são Deslane Rodrigues, de 14 anos, Maria Fernanda dos Santos Sousa, de 15 anos, Fernanda Silva Higino, de 14 anos e Thalyson Vinicius também de 14 anos. Um dos jovens chegou a deixar uma carta avisando que retornaria em quatro dias. "Não venha atraz de mim, venho em 4 dias. É serio" [sic]. A fuga ocorreu por volta das 1h e desde então a Polícia Civil está em diligência a procura dos jovens.

"Estamos apurando todas as denúncias que recebemos sobre o paradeiro dos quatro. Recebemos a informação que eles teriam recebido carona em um carro vermelho de uma pessoa daqui de José de Freitas, mas essa pessoa estava em outro lugar nesse horário e agora estamos investigando se eles foram para Teresina", esclareceu o delegado.

Hildson explica que os jovens não conseguiram viajar de ônibus pois o terminal rodoviário do município não funciona durante a madrugada. O Conselho Tutelar também participa da investigação e qualquer informação popde ser repassada à delegacia de Polícia Civil de José de Freitas.

Rayldo Pereira e Flávio Meireles
redacao@cidadeverde.com