Cidadeverde.com

"Me sinto aliviado", diz jovem que fugiu de casa para combater demônio

Um mistério ainda paira sobre o desaparecimento dos quatro jovens que saíram do município de José de Freitas, supostamente, para fazer um curso na Bahia e se proteger de demônios. Os adolescentes sumiram na madrugada de domingo (13) e foram localizados na cidade de São Pedro do Piauí, no fim da tarde desta segunda-feira (14). Eles só foram reencontrados após um deles, desistir da viagem. 

Thalyson Vinicius foi o primeiro a ser encontrado. O garoto de 14 anos voltou para José de Freitas no meio da tarde desta segunda-feira e auxiliou a Polícia Civil na localização das outras três adolescentes - Deslane Rodrigues (14 anos), Maria Fernanda dos Santos Sousa (15 anos) e Fernanda Silva Higino (14 anos). 

Para retornar à cidade, Thalyson conta que vendeu o próprio celular e aproveitou que as amigas estavam dormindo para voltar para casa. Com o auxílio do adolescente, a Polícia Civil resgatou o grupo em uma parada de ônibus por volta das 18h, meia-hora antes deles se aventurarem para outro Estado. 

"Eles estavam em uma parada de ônibus da cidade de São Pedro e já se encontravam com malas e mochilas prontos para irem a Bahia. Chegamos no município por volta das 18h e o ônibus sairia às 18h30. Por pouco não seguiram viagem para a Bahia. O que temos até agora é que livros teriam influenciado os jovens. Eles disseram que enfrentariam pandemônios, eram do bem e que passariam por um treinamento na Bahia, depois Minas Gerais e em seguida São Paulo", disse Gilson Ferreira, coordenador de Polícia Civil do 17º DP, em entrevista ao Notícia da Manhã.

A Polícia Civil ainda investiga o que teria motivado o desaparecimento dos adolescentes. Uma das hipóteses é que os jovens tenham sido influenciados pela leitura de livros da série Fallen, da escritora Lara Katen. As obras de ficcção Paixão e Tormenta foram encontradas na casa de um dos jovens. Os livros falam sobre anjos, paixão, tristeza, morte, escuridão e solidão. 

Dos adolescentes, apenas Thalyson quis falar ainda que de forma sucinta. Ele conta que dormiu no mato e desistiu da viagem por medo. "Estou aliviado", resumiu. 

Para os familiares, o sentimento de reencontro também foi de alívio. O pai de uma das meninas veio de São Paulo para procurar a filha. 

"No início pensei que fosse coisa de adolescente, mocinha querendo namorar. Depois foram dizendo as coisas e eu comecei a ficar imaginando. No início não liguei, mas depois me preocupei bastante, no que poderia ocorrer", disse Raimundo Filho, pai de uma das meninas. 

Os jovens estão sendo acompanhados pelo Conselho Tutelar e serão encaminhados ao Crea para acompanhamento psicológico. 

"Eles estão aparentemente dopados, mas acreditamos que é pelo cansaço. As mães contam que eles foram a pé e depois pegaram um ônibus. Esse silêncio deve ser pelo cansaço", disse a conselheira tutelar, Fernanda Araújo.


Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com