Cidadeverde.com

Júnior do MP3 reage à declaração de Assis Carvalho: “Não aceitamos interferências”

Foto: RobertaAline/CidadeVerde.com

O militante Júnior do MP3 afirma que não retira a pré-candidatura a prefeito de Teresina. Ele reagiu à entrevista dada pelo presidente estadual do PT, Assis Carvalho, à coluna. Durante à entrevista, Assis citou os nomes dos deputados Franzé Silva e Fábio Novo como pré-candidatos. Ele não citou o nome de Júnior do MP3, que reagiu e diz que o partido não pode sofrer interferências. 

“Ele (Assis Carvalho) quer de qualquer formar anular minha pré-candidatura. Para ele, um negro, periférico, sem dinheiro não pode ser pré-candidato. As campanhas dele são muito ricas. Ele não é mais da origem do partido que se acredita que se ganha com trabalho, mas com dinheiro. O deputado tem medo de que eu possa concorrer porque ele quer ser protagonista da eleição em Teresina. Em Teresina, os protagonistas são os candidatos a vereadores, prefeito e a base do partido e os diretorianos. Ele tem medo de perder o poder. Ele não pode interferir no diretório municipal. É por isso que ele não citou meu nome”, disse.

Júnior defende que as discussões sobre a candidatura sejam abertas com a participação de todos que fazem o partido. “Não vamos cometer o mesmo erro. O diretório municipal não pode sofrer interferência de ninguém. Todos somos iguais. Pelo menos era para ser no PT. O governador pode optar por quem quer que seja, mas é a base que decide, os diretorianos, os militantes e os pré-candidatos. Vão acontecer as prévias, é normal. Estamos em uma discussão civilizada, a interferência tem que ser zero. Mantenho minha pré-candidatura até as prévias. Quem decide são as prévias. Elas são importantes porque há muito tempo o partido não discute candidatura própria. O PT ganha oxigenando a discussão em Teresina”.