Cidadeverde.com

Em reunião com Bolsonaro, governador pedirá ações concretas e plano para economia

Foto: AndréOliveira/CCOM/PI

O governador Wellington Dias (PT) foi convidado a participar de uma reunião entre os governadores e o presidente da República, Jair Bolsonaro. O encontro virtual deverá ocorrer na quinta-feira (21), às 10 horas. 

Wellington Dias, que tem feitos duras críticas à condução que o governo Bolsonaro tem dado à crise provocada pela pandemia, defende que a reunião é importante. Ele avalia que é preciso um esforço concentrado da União, dos governadores, de prefeitos e da iniciativa privada para enfrentar a pandemia.

Diante da crise e do atraso de algumas medidas essenciais, o governador cobra a realização de ações concretas. Ele lembra que o vírus não afeta apenas a saúde, mas também, a economia.

‘Estamos enfrentando um inimigo comum que é o coronavírus. É inimigo tanto da saúde, quanto da economia. Há a necessidade de enfrentarmos juntos. É um inimigo que já levou a óbito mais de 1 mil pessoas no nosso país. Compreendemos que neste instante existe a necessidade  não só de um diálogo, mas também, de medidas concretas onde possamos unificar um plano nacional, um plano para enfrentar os desafios na área da saúde como testagem, exames, as condições de ter pessoas contaminadas localizadas para se tomar as medidas adequadas, da mesma forma garantir que tenhamos leitos suficientes para atender  as pessoas na fase inicial, para o tratamento adequado, seguindo protocolos e dando autonomia para os profissionais de saúde’, destaca.

A recuperação é uma das preocupações dos governadores de todo país. Wellington Dias defende um plano conjunto com a união de esforços de todos os setores.

‘Junto com a saúde vem a parte social e a parte econômica. É importante ter um plano unificado para que tão logo se tenha as condições da retomada, garantir as condições de um trabalho conjunto de estados, municípios, governo federal, e o setor privado para a retomada do crescimento, da geração de emprego, de tudo que é necessário’, afirmou.