Cidadeverde.com

Ciro discorda de Marcelo Castro: “Congresso não abrirá mão de decidir sobre eleições”

Foto: RobertaAline/CidadeVerde.com

O presidente nacional do Progressistas, senador Ciro Nogueira, afirma que o Congresso Nacional toma a decisão acertada ao criar uma comissão para discutir a realização das eleições 2020, em meio à pandemia do coronavírus. O progressista discorda da Proposta de Emenda a Constituição (PEC) do senador Marcelo Castro (MDB), que propõe passar essa prerrogativa para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Ciro afirma que o Congresso não abrirá mão dessa decisão. “Há algum tempo estou sugerindo ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre, a necessidade do Congresso fazer uma comissão para discutir essa situação. São raras as vezes, mas dessa vez eu fico contra essa manifestação do Marcelo Castro. Discordo completamente. Isso é uma atribuição do Congresso. O TSE não tem atribuição de fixar eleições. É uma atribuição do Congresso e não vamos de forma nenhuma abrir mão”, destacou.
A possibilidade do cancelamento das eleições 2020, com a prorrogação de mandatos e um pleito geral em 2022, é a proposta defendida por Ciro. 

“Na minha opinião sempre defendi que o adimento ocorra para 2022. No caso de se fazer em 2020, o melhor é que ocorra em outubro mesmo. Não vejo diferença de  fazer em outubro ou novembro. Fazer eleição em dezembro é um absurdo. Como vai se fazer uma eleição em dezembro, para os eleitos  tomarem posse no dia 1º de janeiro de 2021. Toda posse tem que ter planejamento, escolha de secretariado, prestação de contas e transição. Não tem como fazer em dezembro. Se for esse ano, que seja em outubro”, defende.

Para o senador, se a eleição ocorrer ainda em 2020, será preciso discutir o novo jeito de se fazer campanha. “Não vejo diferença na pandemia de outubro para dezembro. É preciso discutir os mecanismos de segurança para fazer esse ano. Como vai ser a campanha e o contato com o eleitor. Isso tem que ficar bem claro”, destacou.