Cidadeverde.com

Equipe economia fará reunião para discutir projeção da receita primária na LDO

Foto: RobertaAline/CidadeVerde.com

Depois dos questionamentos na Assembleia Legislativa do Estado, a equipe econômica do Governo do Estado realizará reunião para discutir a projeção de queda na receita primária do estado para 2021. A reunião virtual ocorre às 9 horas. De acordo com projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) encaminhada à Assembleia, para o próximo ano, a projeção de queda é de 6%.

As receitas primárias são as tributárias, de transferências recebidas de outros entes públicos e royalties. Na Assembleia, os deputados questionam a projeção negativa já que as previsões econômicas para 2021 são de recuperação. 

Mesmo na base aliada do governador Wellington Dias (PT), o deputado Franzé Silva é o principal crítico da projeção. “Questionamos o valor negativo e solicitamos dados mais precisos. Todos os indicadores macroeconômicos apontam uma retomada positiva da economia em 2021. São informações que precisamos porque a LDO é um indicador tanto para investidores locais quanto externos”, disse.

O líder do governo na Assembleia, deputado Francisco Limma (PT), afirma que a projeção negativa se deve ao período em que a LDO foi elaborada. Ele explica que a projeção foi feita bem no início da pandemia. 

“A LDO foi encaminhada no mês de abril à Assembleia Legislativa do Estado. Só agora foi distribuída para a comissão. Nessa época, o cenário era do mais pessimista possível. Ela retrata aquele momento. O fato de manter para 2021, como são diretrizes, não representam o novo ânimo que se tem. A lei orçamentária é quem materializa. Qualquer melhoria de cenário, já que a LDO é marco trata mais da macroeconomia, isso será materializado na LOA que será apresentada logo após a LDO;, destacou.

O secretário de Planejamento, Antônio Neto, afirma que é difícil fazer a projeção do ano seguinte tendo como base um ano em que todas as receitas despencaram. Segundo ele, a preocupação é fazer uma projeção realista e evitar que no futuro se tenha problema com o repasse do orçamento dos Poderes. 

“2020 foi um ano atípico. É muito difícil fazer projeção para 2021 com base no ano de 2020. Mas na LDO há uma brecha que diz que Lei Orçamentária Anual (LOA) essa projeção pode ser alterada. Mas vamos fazer essa reunião para discutir essa possibilidade. Não queremos prejudicar os poderes. Queremos é um orçamento realista”, afirmou.