Cidadeverde.com

Vereadores de Teresina articulam abertura de CPI contra presidente da FMS

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde.com 

Os vereadores de Teresina articulam nos bastidores a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar as denúncias de falta de medicamentos essenciais nos hospitais da capital. Segundo os vereadores, a justificativa do presidente da FMS, Gilberto Albuquerque, de que o desabastecimento seria um problema nacional não é convincente.

Os vereadores argumentam que há muito tempo a pasta apresenta problemas de gestão e cobram uma resposta do secretário. 

Diante dos problemas, há um grupo de parlamentares da Casa que começa a se articular para a abertura de uma CPI. Para a abertura da comissão são necessárias 10 assinaturas. 

Na manhã de hoje acontece uma reunião da comissão de saúde da Câmara, presidida pela vereadora Poliana Rocha (PV). A comissão deve decidir hoje pela convocação do presidente da FMS para prestar esclarecimentos sobre o caso. 

Se os esclarecimentos não forem satisfatórios, a Casa pode dar início a uma CPI.  

“Primeiro a comissão vai se reunir para decidir sobre a convocação do secretário. Vamos esperar a justificativa do secretário”, disse a vereadora. 

O vereador Deolindo Moura(PT) foi mais duro contra o presidente da FMS. Segundo ele “falta competência” para a atual gestão. 

“Tenho certeza que o prefeito tem boas intenções com relação à Saúde, mas está faltando competência para gerir a pasta. Não está descartada a abertura de uma CPI. É um absurdo falta soro fisiológico”, disparou Deolindo Moura. 

A decisão sobre a convocação do presidente da FMS para esclarecimentos sai hoje. O abertura da CPI dependerá das explicações de Gilberto.