Cidadeverde.com

PT quer definição sobre ocupação das secretárias e cota exclusiva do governador

 

O questionamento levantado pelos partidos aliados sobre as secretarias que seriam da cota pessoal do governador ou do Partido dos Trabalhadores (PT), tem provocado incomodo entre as lideranças petistas. O principal ponto de conflito diz respeitos às pastas da Saúde e de Educação.

As duas pastas são consideradas de importância vital para o governo e despertam a atenção dos aliados. Para os deputados dos demais partidos, hoje elas são da cota do PT, mas para os petistas, elas são da cota do governador. O impasse foi instalado porque os demais partidos entendem que assim o PT já estaria muito bem contemplado. 

Na gestão passada, a Educação foi comandada pela deputada Rejane Dias (PT), primeira-dama do Estado. Atualmente, o governador indicou Ellen Gera para o cargo. Mas os aliados avaliam que ele estaria de forma interina. 

Já a Saúde, é comandada pelo ex-prefeito de Parnaíba, Florentino Neto. Na base, alguns afirmam que ele seria da cota do presidente do PT, deputado federal Assis Carvalho. Mas há quem coloque o ex-prefeito na cota pessoal do governador.

O PT deve conversar com o governador nos próximos dias. O partido quer manter o espaço no governo e afirma que pela quantidade de votos que recebeu, em 2018, mais de 350 mil votos, mereceria a indicação dessas secretarias consideradas de grande relevância.