Cidadeverde.com

Prefeitos infiéis na Eleição de 2018 são alvos de processo de expulsão

Foto:Ascom/PT

O Partido dos Trabalhadores (PT) decidiu pela expulsão dos membros acusados de infidelidade partidária na Eleição de 2018. As lideranças  petistas que não votaram no governador, Wellington Dias, e nos candidatos a deputado da sigla devem deixar a legenda. 

Alguns dos prefeitos considerados infiéis se anteciparam e deixaram a sigla antes da expulsão. É o caso do prefeito do município de Francisco Santos, Luís José de Barros. Ele votou no tucano Luciano Nunes em 2018. No mês de março, deixou o partido para se filiar ao PSD.

A direção estadual do PT já iniciou o processo de expulsão dos infiéis que ainda permanecem na sigla. As denúncias envolvem prefeitos, vice-prefeitos e vereadores.