Cidadeverde.com

Venâncio diz que existe movimentação para Firmino Filho deixar o PSDB

Foto: RobertaAline/CidadeVerde.com

Os vereadores do PSDB aguardam uma definição sobre os rumos do partido em Teresina. Sem possibilidade de deixarem a sigla devido à legislação eleitoral, eles acompanham as movimentações para o esvaziamento da sigla com as possibilidades de saídas de lideranças como o ex-prefeito Firmino Filho e o deputado Marden Menezes.

“Observamos uma movimentação, que é natural, de quem pleiteia ser candidato no próximo ano. Notamos que existe uma grande expectativa do prefeito Firmino Filho de não permanecer mais no PSDB. Vimos que o deputado Marden Menezes vai mudar de partido. Quem foi eleito agora para vereador não pode mudar de partido, como não vou ser candidato a deputado, minha função é observar e esperar os próximos passos. Gosto muito do prefeito Firmino Filho e ele saindo do partido vou torcer que ele faça uma boa escolha e tenha sucesso nas próximas missões. Tanto eu quanto o Edson Melo, como o Gustavo de Carvalho e Paulo Lopes, temos que esperar a legislação”, disse.

Venâncio afirma que a saída das lideranças enfraquece o partido, que vive um momento delicado após deixar o comando da prefeitura da capital.

“Sem dúvida o PSDB era uma coisa antes da eleição aqui na capital. Tinha uma caixa de ressonância com relação ao interior. Hoje é um partido que tem os vereadores aqui em Teresina e só um prefeito no interior. É bem mais fraco politicamente. Sem dúvida, essa saída das lideranças vai enfraquecer ainda mais a questão municipal. Nos resta aguardar os próximos passos e capítulos”, desabafou.

Dr. Pessoa garante que não fará distinção entre os vereadores para liberação de emendas

Foto: RobertaAline/CidadeVerde.com

O prefeito Dr. Pessoa garante que a prefeitura irá liberar as emendas parlamentares dos vereadores da capital. Segundo o prefeito, não haverá distinção entre a base aliada e a oposição.

Alguns vereadores afirmam que estão desde 2013 sem terem as emendas liberadas. 

“Não vou olhar quem votou no Dr. Pessoa e quem votou contra. Todos vão ser tratados de maneira republicana, isonômica e iguais. Vamos fazer. Nesse momento de dificuldades não vamos chegar e dizer que está tudo liberado. Mas na medida do possível, olhando para o econômico e o financeiro, vamos servir a todos de maneira republica e isonômica”, destacou. 

Câmara se articula para aprovar nome de Márcio Allan no comando da Arsete

Foto: RobertaAline/CidadeVerde.com

O presidente da Câmara de Vereadores, Jeová Alencar, afirma que não passou de um mal-entendido o fato do plenário da Casa não ter aprovado nome do advogado Márcio Allan Cavalcante para a presidência da Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos de Teresina (Arsete). Jeová afirma que a aprovação será na sessão desta quarta-feira (02).

Na semana passada, Márcio foi sabatinado, mas não houve quorum para votação. O episódio mostrou desarticulação da base aliada. Mas para Jeová, o fato de terem sido realizada duas sessões, impediu  que alguns parlamentares continuassem na Casa. 

“A questão da sabatina estava presente para uma única sessão ordinária, mas tivemos duas. Os vereadores já tinham outros compromissos. Foi isso que aconteceu. Não tenha dúvida que será aprovado. Ele já explanou e tirou todas as dúvidas dos vereadores. Agora é só cumprir tabela”, disse. 

Vereadores buscam diálogo para liberação de emendas parlamentares

Foto: RobertaAline/CidadeVerde.com

Os vereadores de Teresina esperam que o prefeito Dr. Pessoa (MDB) libere as emendas parlamentares, que ficaram engavetas na gestão passada. Alguns parlamentares esperam a realização de uma conversa com o secretário de Finanças, Robert Rios (PSB), sobre o assunto.

Mesmo diante dos reclames do secretário sobre crise financeira na prefeitura, Dr. Pessoa  prometeu que irá liberar os recursos. Os vereadores estão animados porque o prefeito já afirmou que não fará distinção entre oposição e base aliada. 

“Os vereadores estão conversando. Vamos conversar com o secretário de Finanças, Robert Rios, e o secretário de Planejamento, João Henrique,  para  que possamos executar essas emendas. Sempre digo que as emendas não são dos vereadores. O Dr. Pessoa sempre disse que  vai fazer diferente e liberar seja da base ou da oposição. Não é um favor para o vereador, mas é por Teresina. Nosso prefeito e o Robert Rios afirmam que vão liberar nossas emendas”, disse o presidente da Câmara, Jeová Alencar (MDB). 

"É fuxico", diz Renato Berger sobre deixar liderança do prefeito

O líder do prefeito na Câmara de Teresina, vereador Renato Berger (PSD), nega que esteja deixando o cargo. Segundo ele, a informação de que ele deixará a liderança, não passa de "fuxico".

"A liderança é de escolha do prefeito. Sou líder dele. Tenho um bom relacionamento com todos os vereadores. As conversas podem existir, mas nada que afete nem a amizade e nem o trabalho que desenvolvemos aqui. Todo os vereadores têm entendido muito que há maneira de trabalhar, de fazer esse elo muito bem. É mais fuxico", afirmou.

Renato afirma que tem uma boa relação com os vereadores. Em especial com o presidente da Câmara, Jeová Alencar (MDB).

A informação sobre a saída de Berger da liderança surgiu após a base não aprovar a sabatina do advogado Márcio Allan Cavalcante para a Arsete. Sem quórum, ele foi sabatinado, mas não teve votação. 

"Aqui na Casa, o Jeova é um amigo. Colabora com o trabalho que desenvolvemos aqui até pela amizade e conhecimento que tem. Temo uma ligação na tratativas das coisas. Com a prefeitura a relação e boa com todos. Não só com o prefeito", destacou.

Aliado de Bolsonaro, Ciro Nogueira critica lockdown e destaca repasses federais

Foto: RobertaAline/CidadeVerde.com

O presidente nacional do Progressistas, senador Ciro Nogueira, critica a possibilidade de lockdown no Piauí. No final de semana, foram adotadas medidas restritivas e toque de recolher até o dia 04. Aliado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Ciro afirma que o governo federal fez repasses de verbas para o Piauí, que estão sendo mal gerenciadas pelo governo do Estado. 

Segundo ele, o governo do Piauí é rico de caixa e pobre de ação. Ele afirma que o lockdown penaliza a população e prejudica a economia.

O senador, que será candidato a governador em 2022, afirma que a pandemia tem sido usada de forma política. 

Veja nota do senador: 

Piauí: governo rico de caixa, pobre de ações 

Desde o primeiro momento, eu denunciei que a destrambelhada iniciativa do governo do Estado de decretar o lockdown era uma punição ao povo do Piauí, um exemplo de falta de gestão e uma decisão errada do governador Wellington Dias. Agora, para que não reste mais nenhuma dúvida, nada melhor do que os números dos repasses oficiais do governo federal para a saúde e para o enfrentamento à pandemia da Covid-19 para comprovar que o lockdown no Piauí é pior ainda do que todos imaginávamos. 

O governo está usando uma tragédia humanitária como instrumento político para fazer uma cortina de fumaça e esconder seus erros administrativos e o mais grave: o governo do Piauí está usando o lockdown para desviar o foco e a atenção dos piauienses para uma das mais perversas políticas públicas engendradas por qualquer governo em qualquer momento de nossa História. Enquanto alardeia o caos e, com isso, apavora a população, paralisa a economia, destrói a vitalidade do comércio, mutila milhares de empregos, prejudica o dia a dia e a normalidade de estudantes e empreendedores, pais de família, o governo faz isso tudo ao mesmo tempo em que entope seu caixa de recursos como nunca antes na história deste estado.

Aos números: em 2020, segundo o Portal da Transparência (dados de 15 de janeiro deste ano), o Piauí recebeu 19 bilhões de reais de recursos federais, seja através de repasses para a saúde e outros ou suspensão/renegociação de dívidas.  Só de auxílio assistencial foram R$ 5,7 bilhões. Ou seja, o problema da pandemia nunca foi a falta de recursos para o Piauí. Foi e continua sendo a falta de competência e de gestão.

O governo do Piauí tem recebido todo o apoio do governo federal, mas não tem feito a sua parte. Qual seja, montar hospitais de campanha, leitos, UTIs adicionais. Dinheiro para isso? Tem de sobra! Mas o governo tem adotado uma política (genocida?) de abarrotar o seu caixa, talvez com objetivos eleitoreiros com vistas às eleições de 2022, enquanto a pandemia grassa e o governador coloca a culpa no governo federal por tudo.

Do ponto de vista político, por mais hedionda que uma estratégia fria e calculista como essa possa ser, não há como deixar de reconhecer o alto grau de maquiavelismo e matreirice que essa forma possui para alcançar objetivos eleitorais e confundir o povo. 

Mas do ponto do vista ético e humanitário, fazer a opção pelo caixa em detrimento da vida das pessoas, dos irmãos e irmãs do Piauí - e além disso criar uma narrativa deliberadamente falsa de jogar a culpa justamente no governo federal que está ajudando o Estado como nunca antes - é uma atitude mesquinha e nefasta. Um verdadeiro estelionato que seria só político se não significasse a morte de pessoas. 

O lockdown no Piauí não é só um castigo para o povo. É um dos capítulos mais tristes de nossa História, de quando um governo usou uma calamidade pública para fazer caixa eleitoral, para encobrir seus próprios erros e incompetências, para desviar a atenção e culpar o governo federal por todos os leitos e vagas de UTI que, mesmo tendo dinheiro em abundância, o governo do Piauí não fez ou não quis ou não soube fazer. O lockdown é a história de um governo rico de caixa e pobre de ações. Enquanto isso, as mortes aumentam e o drama da pandemia no Piauí se alastra e a politicagem governa o nosso estado. Muito triste.

SENADOR CIRO NOGUEIRA

Deputado Marcos Aurélio nega ser vice de Ciro Nogueira em 2022

Foto: Arquivo/CidadeVerde.com

O deputado federal, Marcos Aurélio (MDB), afirma que não foi convidado para ser candidato a vice na chapa que será encabeçada pelo senador Ciro Nogueira (Progressistas), em 2022. O parlamentar emedebista garante que faz parte da base aliada do governador Wellington Dias (PT). 

Lideranças progressistas chegaram a afirmar que o nome de Marcos Aurélio seria uma opção para aproximar o partido do MDB. Porém, os emedebistas afirmam que a legenda não tem pretensões de deixar a base aliada.

“Tudo que sei é pela mídia. Eu estou mais do que acertado o passo com o governador Wellington Dias”, destacou o deputado.  

Themístocles quer Pessoinha disputando vaga de deputado pelo MDB

Foto: RobertaAline/CidadeVerde.com

O deputado Themístocles Filho (MDB) sugeriu que o MDB convide o filho do prefeito Dr. Pessoa (MDB), o advogado João Duarte, conhecido como Pessoinha, para se filiar ao MDB. Themístocles afirma que fez a sugestão ao deputado João Madison, que mostra preocupação com a formação da chapa proporcional do partido.

Segundo o presidente da Assembleia Legislativa do Estado, Pessoinha tem condições de ser bem votado. Na administração de Dr. Pessoa, Pessoinha comanda a Secretaria da Juventude e a Empresa Teresinense de Desenvolvimento Urbano( Eturb). 

Na disputa pela presidência da OAB, Carlos Henrique defende uma gestão mais transparente

Foto: Ascom

As tratativas para a disputa nas eleições da OAB-PI já estão acontecendo e diversas pesquisas estão sendo realizadas. Um dos nomes que aparece  no cenário é o do advogado Carlos Henrique, que será candidato a presidente da Ordem.

Como oposição ele defende que a OAB-PI precisa de uma gestão mais transparente e melhorias nos atendimentos nos tribunais.

Ele é advogado há 18 anos e concorreu como presidente na eleição anterior. Ele já foi presidente da comissão de direito do trabalho e conselheiro seccional da OAB-PI no triênio 2015-2018. 

Jeová Alencar toma posse na presidência do MDB: “Vamos fortalecer as bases”

Foto: RobertaAline/CidadeVerde.com

O vereador Jeová Alencar tomou posse oficialmente como presidente municipal do MDB. No discurso de posse, ele falou do desafio de fortalecer as bases do partido para ter uma sigla forte.

“Agradeço a Deus e ao Themístocles Filho por acreditar em mim e me conceder essa honrosa missão que é comandar o MDB de Teresina. Sei que o desafio será grande, mas pode ter certeza que irei me dedicar muito a essa missão junto com os emedebistas e juntos com Teresina. Continuar esse trabalho que o MDB tem feito no nosso país, nosso estado e nossa capital. Procurar agregar pessoa que tenham o mesmo compromisso e a mesma linha do MDB de trabalhar pelo social e por uma sociedade mais justa. Trabalhar sempre por aqueles que mais precisam”, disse.

Jeová destaca que deseja o partido mais perto da sociedade. “Vamos fortalecer nossas bases. O MDB Mulher, MDB Jovem, MDB de empreendedores, entre outros. Procurar abrir as portas do partido à sociedade. Que possamos agregar pessoas boas ao nosso partido”, afirmou.  

Posts anteriores